Airbnb – Alugando um apartamento em NYC!

Inventei de última hora uma viagem de uma semana para Nova York no final de Outubro (yay!!) e tive que sair à caça de um lugar para me hospedar o quanto antes. Depois de muito pesquisar, acabei descartando definitivamente o termo “hotel” das minhas opções. Gente, vocês já viram quanto custa a diária em um hotel bem mais ou menos em NYC? O preço da hospedagem chega a ser quase um assalto! Fiquei em choque!

Airbnb

Bom, depois de passado o susto, percebi que minha única alternativa seria um hostel. Acho a ideia bem bacana e tals, mas não sou a maior fã desse tipo de acomodação, devo confessar… MAS, a essa altura do campeonato, o importante era ter um lugar apenas razoável pra dormir e tomar banho, mesmo porque a ideia é passar o dia todo fora, né?

Mas acredita que achei o preço dos hostel também muito altos? E olha que não estava sendo nem um pouco exigente, viu? Minha única restrição era ficar em Manhatan. Só. Podia ser em qualquer lugar da ilha, qualquer condição. E olha, que dificuldade achar um lugar por um preço justo! Aceitável, pelo menos, sabe?

Vi opções caríssimas, com valores equiparados ao preço de um bom hotel em outros lugares do mundo, e isso para ter que usar banheiro compartilhado! Nada contra, mas poxa, pagar uma fortuna pra ter que pegar fila pra tomar banho é f@%#! No fim das contas, acabei reservando um hostel meio longe e com uma avaliação considerada média pelos usuários do Booking.com, que foi a melhor das opções que encontrei. Escolhi um quarto que tinha a possibilidade de cancelamento grátis, caso eu encontrasse alguma coisa melhor… Apesar de já estar bem desiludida! Hahaha Cada dia que entrava no site para olhar, as opções mais “baratas”, ou melhor, menos caras, sumiam e só iam sobrando as “facadas no bolso”.

Eis que me veio uma luz divina e me lembrei do Airbnb, uma plataforma de aluguel de quartos e apartamentos com gente cadastrada no mundo inteiro. Tem muita gente que mora sozinho ou apenas em duas pessoas em um apartamento de dois ou três quartos, por exemplo. E esses cômodos que sobram ficam sem ter muita utilidade, certo? E o que fazer com eles, então? Aluga para algum viajante que quer passar uns dias na sua cidade!

Airbnb - NYC

O bacana desse esquema do Airbnb é que o hóspede acaba vivendo a cidade de uma forma muito mais intensa. Você realmente mora durante aqueles dias na casa de um local mesmo, convive com ele, conhece seus hábitos, comidas, a decoração da casa. É como se você fizesse parte da cidade por alguns dias, vivendo o dia a dia. Se tornasse um “cidadão temporário”. É uma experiência muito mais rica e pessoal do que ficar em um hotel. Já a vantagem para o dono do apartamento (além de ganhar uma grana) é a possibilidade de conhecer gente de todos os lugares do mundo (ainda mais em uma cidade como NYC) e ter contato com diversas culturas, línguas e hábitos. E tudo isso, dentro da própria casa. Não é o máximo??

Eu já conhecia o conceito e até tinha dado uma espiada no Airbnb anteriormente, mas acabei não dando muita importância na ocasião. Mas quando comecei a pesquisar por apartamentos em NYC, não é que eu achei opções interessantíssimas?

No Airbnb, você pode reservar um apartamento inteiro ou apenas um quarto em um apartamento na cidade que você deseja. Acabei alugando um dos quartos de um apartamento de 3 dormitórios a três quadras do Central Park e da 5ª Avenida, no quarteirão de uma estação de metrô. A dona do apartamento é uma japonesa muito simpática, que já aluga o terceiro quarto para outras pessoas, então terá mais gente na casa, além dela. O custo benefício é muito melhor do que o aquele hostel que eu havia reservado pelo Booking.com (o qual eu cancelei a reserva, depois de fechar o negócio no Airbnb).

Combinei com a dona do apartamento todos os detalhes de horários e outras particularidades antes de fechar o negócio (que é muito importante eu eu explico no próximo post: Como usar o Aribnb). Depois de tudo esclarecido e acordado, foi só efetuar o pagamento e pronto! Já tenho onde ficar em NYC por um preço totalmente digno!

Eu acabei pagando um pouquinho nesse quarto pelo Airbnb do que me custaria ficar as 6 noites naquele hostel, mas tinham apartamentos ainda mais baratos – só que mais longes também. Como eu já estava com aquele valor na cabeça, qualquer coisa que fosse mais barata e/ou num lugar melhor localizado seria um bom negócio para mim. Sendo assim, preferi pagar algo próximo do que eu já ia pagar para ficar no hostel, mas ficar em um lugar de mais fácil acesso e ter mais privacidade (sim, pois apesar de ser a casa de uma pessoa que eu não conheço, vou ter um quarto só para mim e ter que dividir o banheiro somente com as pessoas que já moram lá ;)).

Conclusão: achei o Airbnb muito fácil, prático, seguro e intuitivo de usar. Em relação ao valor, é infinitamente mais em conta do que ficar em um hotel ou até em um hostel em uma cidade como NYC, que tem preços super inflacionados. Pode ser que eu não goste do lugar, ou da dona da casa, mas até aí, é um risco que se corre, né? Tô super ansiosa e acho que vai ser uma experiência muito legal!

Nesse post aqui, eu explico direitinho como funciona para fazer uma busca e reservar um quarto pelo Airbnb. Dá uma olhada lá!

Bjos!!

2 thoughts on “Airbnb – Alugando um apartamento em NYC!

  1. Gabriela

    Oii! Ótimo post =)
    Tenho uma dúvida: como é a questão da alimentação na casa? Você compra a sua comida e tem um lugar só para você guardar, ou todos dividem as compras do mercado?
    E na hora do almoço/jantar você pode cozinhar normalmente?
    Obrigada =)

    Reply
    1. Vânia Parola Post author

      Oi Gabriela! Tudo bem?

      Normalmente, cada um compra sua própria comida e pode usar a cozinha à vontade: cozinhar, guardar os alimentos, utilizar a geladeira, enfim. Mas o ideal mesmo é tirar essas dúvidas com o anfitrião antes de fechar o negócio, já que não há uma regra para esse tipo de coisa e cada dono faz de um jeito 🙂

      Obrigada e espero ter ajudado! 😉

      Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *