Monthly Archives: July 2015

Sobre o famoso Porto de Hamburg, Alemanha

Porque não há nada melhor do que viajar para um lugar sabendo um pouquinho da história e curiosidades sobre ele, né? A viagem fica mais rica e tudo faz mais sentido! Quem concorda? o/

No post de hoje da nossa coluna semana “Por que Alemanha?” (clica AQUI pra ler os demais posts!!), a Chris traz pra gente alguns fatos e curiosidades sobre o famoso e importante Porto de Hamburg! Vamos ver? Quando você fizer sua viagem para a Alemanha, já vai estar bem informado! 😉

Por que Alemanha - Porto de Hamburg

“Alemanha – Porto de Hamburg                  

Hamburg – o portão para o Mundo. Comércio e navegação contribuem há séculos para o ambiente internacional dessa cidade à beira do rio Elba, com 4 milhões de habitantes na área metropolitana.

Porto de Hamburg - Chris

Hamburg é uma cidade-estado, fica bem no norte da Alemanha, pertinho da Dinamarca, à margem do Rio Elba. É uma cidade com muito verde e é considerada uma das cidades mais bonitas da Alemanha, recebendo 120 milhões de turistas anualmente. Hamburg é uma cidade hanseática que fazia parte da Companhia de Navegação e Comércio Hansa. Entre 1850 e 1934 mais de cinco milhões de emigrantes saíram da Europa para o Novo Mundo pelo porto de Hamburg. Eram emigrantes dirigindo-se a América do Norte e do Sul, incluindo o Brasil.

Porto de Hamburg - Cartazes

É interessante notar que no Brasil, Hamburger Berg foi a primeira fundação no Vale dos Sinos, Sul do Brasil, que mais tarde tornou-se Hamburgo Velho, o nome original significava “Morro dos Hamburguenses”, daí se origina a Novo Hamburgo atual. Hoje, Novo Hamburgo é conhecido como a Capital Nacional do Calçado e é considerada a maior cidade de origem alemã do Rio Grande do Sul.

Em Hamburg também chegaram de navio os imigrantes para trabalhar na indústria e reconstruir a Alemanha no período do pós-guerra. Isso faz com que a cidade tenha grande tradição em suas relações internacionais e multiculturais, sendo chamada de “Portão para o Mundo” (Tor zur Welt).

Porto de Hamburg - Navios

O Porto de Hamburg transformou-se em breve tempo em um local turístico interessante para navios de cruzeiro em virtude de localizar-se bem no centro da cidade e assim perto das atrações turísticas. Além disso, tornou-se comum que habitantes da cidade saúdem os navios da margem do rio Elba durante a sua chegada à cidade, muitas vezes acompanhados por um espetáculo de fogos de artifícios patrocinado pela cidade.

História e Tecnologia

O porto nasceu na Idade Média, ganhou cada vez mais importância durante o século XIX, foi bombardeado durante a 2ª Guerra Mundial e em pouco tempo reergueu-se e modernizou-se. Entre 1958 e 2008, o movimento anual passou de 30 milhões de toneladas para 140 milhões de toneladas. Atualmente, a containerização – manipulação de mercadoria por containers, que indica o nível de modernização do porto – chega a 96%.

Uma média de 12 mil navios cargueiros passam por Hamburg todos os anos. É mais do que o dobro, por exemplo, do volume de navios que atracou no Porto de Santos, o maior do Brasil, em 2009.

Porto de Hamburg - Cargueiro

Economicamente, o Porto de Hamburg é o segundo maior porto da Europa, possui uma localização geográfica estratégica para distribuição de produtos depois que estes chegam no Porto. O Porto fica na beira de um rio, o Rio Elba, e os navios chegam pelo mar do Norte, entrando 70 milhas náuticas pelo rio até chegar no Porto.

Porto de Hamburg - Rio Elba

O Rio Elba tem 1.165 km de extensão, com 870 km navegáveis. Em sua foz no Mar do Norte, logo depois de Hamburg tem 15 km de extensão.

Previsões confirmam que em 2 ou 3 anos, o Porto de Hamburg ultrapassará o Porto de Amsterdã, o maior concorrente, em temos de volume movimentado. Para isso discute-se no momento os planos para o aumento da profundidade do rio Elba, construção de novas estradas e ferrovias além das já existentes para assegurar o acesso e escoamento das cargas ao porto. Só para exemplificar, diariamente chegam ao porto 200 trens de carga e as previsões futuras são de 450 trens por dia. A companhia ferrovia portuária administra 330 km de trilhos, incluindo 5 estações, 7 cruzamentos e 73 pontes e uma moderna torre de controle central.

Além disso, apesar de ter terminais para a movimentação de cargas a granel, a ênfase está na movimentação de cargas em containers. Isso faz de Hamburg um grande centro de comércio exterior. O porto é responsável por 40% da arrecadação fiscal do Estado de Hamburg. Mais do que a indústria aeronáutica, presente no Estado com a Airbus, maior concorrente da Boeing, com 15.000 funcionários em sua fábrica ali situada.

No porto existem vários museus náuticos que podem ser visitados, por exemplo, o Rickmer Rickmers e o Cabo São Diego. Visitas guiadas através do porto da cidade são muito interessantes.

Curiosidade: Comparação de 5 portos em volume de TEUs (Twenty Foot Equivalent Units – dados de 2007)

HAMBURG                            9 889 792 

BREMEN/B’HAVEN             4 912 177 

SANTOS                                 2 532 900 

AMSTERDAM                        370 000 

BUENOS AIRES                     1 700 000 (2006)

>> Por que Alemanha?

–  Porque aqui o cidadão participa ativamente da vida política. Em 2010 aproximadamente 120.000 pessoas se reuniram em demonstração contra usinas atômicas. Eles formaram uma corrente humana de 120 km entre os reatores Krümmel e Brunsbüttel, passando no meio de Hamburg.”

Intercâmbio de um mês vale a pena?

INTERCÂMBIO DE UM MÊS VALE A PENA?

Será que fazer intercâmbio de um mês vale a pena? Se você está pensando em se aventurar em outro país por algumas semanas mas está em dúvida se compensa, ou não, esse post pode te ajudar!

Antes de mais nada, gostaria de esclarecer que eu não tenho a pretensão de convencer ninguém de nada, muito menos de apontar o que é certo ou errado, bom ou ruim. Minha intenção é apenas compartilhar minha opinião sobre o assunto para poder gerar alguma reflexão em quem está pensando em viajar e, quem sabe, ajudar um pouquinho!

Como eu falo muito, preferi separar em tópicos para ficar mais fácil de entender meus devaneios! Espero que possam ser úteis, pelos menos! Let’s go? 😉

Intercâmbio de um mês vale a pena?

+ Tudo o que você precisa saber sobre fazer intercâmbio na Austrália!

1. O aprendizado da língua

Na maioria dos casos, acredito que quem faz intercâmbio está procurando aprender ou aperfeiçoar uma língua estrangeira. Sendo assim, como sabemos que não existe mágica e que ninguém vai voltar fluente depois de um mês no exterior, acho que temos que pensar sempre em otimização. Já que o tempo é curto, aproveite-o da forma mais inteligente possível!

– Sobre desenvolver novas habilidades

Como já falamos, não dá para pegar fluência em um mês e voltar pra casa falando como um nativo! Quem pretende fazer esse tipo de investimento tem que ter isso em mente, mas se esforçar para aprender o máximo possível.

Aproveite para desenvolver habilidades que são mais difíceis de praticar no Brasil, como ouvir, falar e aprender termos e expressões do cotidiano, que geralmente não nos ensinam nos livros. Acredito ser essas as conquistas mais importantes no aprendizado de uma língua em um intercâmbio curto.

Intercâmbio de um mês vale a pena? - Estudo

– Sobre viajar já tendo alguma noção da língua

Com base no que já observei, acho que a curva de aprendizado em intercâmbios curtos é maior para quem já tem uma noção da língua (mas é só minha percepção, ok? Cada caso é um caso! :). Isso porque a pessoa chega já conseguindo se comunicar, mesmo que minimamente e de forma errada, mas é mais fácil evoluir a partir dali, sabe? Quando já se é familiarizado com a língua, é mais fácil ouvir e falar palavras novas, pois já se entende a estrutura gramatical e a forma de “pensar” daquela língua. Quem chega muito “cru” tem que partir do zero e pode demorar um tempo até conseguir entender alguma coisa e se soltar – e quando vê, já é hora de voltar pra casa.

Sendo assim, talvez seja melhor investir em um curso no Brasil durante uns meses para chegar no seu intercâmbio com alguma base, e não deixar para aprender tudo lá. Acho um pouco de desperdício. É melhor utilizar seu pouco tempo em outro país já podendo se comunicar minimamente, até para que você se sinta mais seguro também.

– Sobre foco e dedicação

Acredito que o que mais vale mesmo é o esforço e dedicação de cada um. Se você não estudar, conviver somente com brasileiros e não tentar conversar na nova língua, realmente você não vai evoluir nada. Nem em um mês, nem em um ano. Já conheci gente que estava há mais de um ano estudando fora e o inglês, no caso, continuava uma m*da. Por isso, meu conselho é: faça valer o seu tempo e dinheiro. Vá às aulas, faça os exercícios de casa, saia para passear sozinho, peça informação na rua, converse com pessoas de diferentes nacionalidades. Fazendo isso, com certeza seu intercâmbio de um mês vale a pena!

2. Intercâmbio não é só aprender outra língua

Mesmo que esse seja o objetivo principal, um intercâmbio pode trazer pra sua vida muito mais benefícios do que aprender uma língua. E essa eu acho que é a maior das consequências. Morar fora, não importa pelo tempo que for, muda nossa forma de pensar, ser e agir. Nos instiga a ser mais curiosos, nos arriscar, tentar, ousar, fazer diferente. SER diferente. Somos obrigados a sair da nossa zona de conforto. Ter que se virar sozinho em meio a uma cultura e língua totalmente diferentes pode ser apavorante no início, mas é uma experiência de vida insubstituível!

Intercâmbio de um mês vale a pena? - Autoconhecimento

Acho que é tudo questão da forma como você decide tirar proveito das oportunidades, sabe? Uma vez que você está investindo tempo e dinheiro para fazer o tão sonhado intercâmbio, não foque somente em aprender outra língua! Explore tudo o mais que a experiência pode te proporcionar. Evolua como ser humano. Tente se conhecer melhor. Tire as amarras. Pense, repense, questione. Acho que se questionar é fundamental e é muito mais fácil e natural fazer isso quando saímos da nossa rotina e da nossa casa. Acontece de forma orgânica. Apenas pare e preste atenção nos seus próprios pensamentos.

E como fazer tudo isso? Tentando coisas diferentes, experimentando, ousando, se arriscando. Faça programas que nunca pensou em fazer antes. Prove novos pratos. Converse com gente estranha. Observe como a cidade funciona. Observe as pessoas. Observe o trânsito. A rua, as calçadas, as casas. Cumprimente as pessoas na rua. Vá a um restaurante sozinho. Ande sem rumo e por horas em um bairro qualquer. Entre em lojas que geralmente não entraria. Sente em um banco qualquer enquanto pensa em nada. Ou em tudo. Acorde cedo para ver o nascer do sol. Ou durma tarde. Alugue uma bicicleta.

3. Você vai se descobrir muito mais capaz do que imaginava

Quando a gente resolve se aventurar por outros países, sempre dá um frio na barriga. Em se tratando de um intercâmbio, então, nem se fale! Pensar em ter que fazer tudo sozinho, viver na casa de estranhos, comer uma comida totalmente diferente, lavar roupa, pegar ônibus, achar o caminho da escola… Parece tudo muito difícil, né? Especialmente quando se é jovem e não fazemos isso nem na nossa cidade!

Mas você consegue. Consegue fazer tudo isso e mais um pouco. É impressionante como o ser humano só aprende na necessidade. Quando você PRECISAR fazer qualquer coisa, você VAI fazer. Tem medo/vergonha só de pensar em pedir informação na rua em outra língua? Quando você estiver perdido e não tiver ideia de como voltar pra casa, você VAI pedir. Não sabe nem ligar uma máquina de lavar roupa em casa? Quando a pilha de roupas sujas estiver enorme e você não tiver mais nada pra vestir, você VAI aprender. Pode acreditar em mim!

Quando eu tinha 15 anos, fiz um intercâmbio de um mês no Canadá, em Toronto. 11 anos se passaram e aquela experiência ainda se reflete em mim. Em muitos momentos, eu me recordo de aprendizados de vida que tive durante aquele mês e percebo como sou influenciada por eles até hoje. Passado todo esse tempo, olho pra trás e vejo como foi importante para eu poder me descobrir, começar a entender quem eu era, do que eu era capaz, como resolvia problemas. E isso, minha gente, não tem preço!

_________________

Bom, espero que eu tenha conseguido passar a mensagem que gostaria! E se eu acho que intercâmbio de um mês vale a pena? Com certeza! Basta saber aproveitar seu tempo da melhor forma possível e se dedicar a aprender. Sobre outra língua e sobre você 🙂

E você? Acha que intercâmbio de um mês vale a pena? Quem já fez? Tem alguma experiência pra contar? Deixa nos comentários!

TAG Viagens! (parte 1)

Ebaaaaa tem vídeo de TAG no canal! Vocês estão acompanhando lá, gente? Clica AQUI ó, e vê os vídeos já publicados (e por favor, relevem o amadorismo, ok? A pessoa tá se aventurando agora nesse universo!).

TAG Viagens - parte 1

O fato é que eu ADORO vídeo de TAG! Assito vários e sobre diversos assuntos, pois acho uma forma divertida e diferente de conhecer aquela pessoa que a gente segue. Concordam? E para estrear no universo das TAGs com o pé direito, eu não poderia começar por outra que não fosse a TAG Viagens! Afinal, isso aqui é um blog de viagens e nada mais justo começar pelo começo!

Eu achei a TAG Viagens em vários blogs brasileiros por aí, mas com perguntas diferentes dessas que eu respondi. No blog fashionarttravel.com, eu encontrei a TAG completa, com 30 perguntas, e selecionei as que achei mais interessantes e que não tinham na primeira versão que achei. Por isso disse lá no título que essa é a parte 1, que é a TAG Viagens com as perguntas que eu selecionei da lista que creio ser a original. Depois, vou responder as perguntas da forma que encontrei nos blogs brasileiros, que será a parte 2. Deu pra entender? Não né… Acho que nem eu entendi direito o que escrevi! Hahaha

Anyway… Vamos ao vídeo? Não se esqueça de curtir a gente lá no canal do Youtube clicando AQUI e no Facebook clicando AQUI!

Para quem quiser dar uma lida nas perguntas e responder também, segue listado abaixo:

TAG Viagens (parte 1)

1. De onde você é?

2. Você prefere verão ou inverno? Por que?

3. Para onde você adoraria viajar?

4. Atualmente, você está guardando dinheiro para viajar?

5. Um país onde você adoraria fazer compras.

6. Qual língua/sotaque você mais gosta de ouvir?

7. Quantos países você já visitou?

8. Por que você viaja?

9. País ou cidade favorita.

10. Experiência no exterior mais marcante.

11. Melhor compra feita no exterior.

12. Conselho para quem gostaria de viajar mas acha que não consegue.

13. Item de viagem que você sempre leva.

14. Ponto turístico favorito que já visitou.

15. Viajar é…

Bad Urach e sua coleção de trenós!

Ai ai ai que essa semana não teve post ainda! Devo confessar que morar sozinha em outro país com tantas coisas pra ver e tantos afazeres domésticos, ter um trabalho online do Brasil, arrumar outro como disher em um restaurante duas vezes por semana, fazer post para o blog, atualizar a página do Facebook (segue lá!) e fazer vídeos para o canal (assiste aê!) não está sendo tarefa das mais fáceis! Hahaha

Obs.: pra ajudar, a internet resolveu para de funcionar bem na hora que estava escrevendo esse post! 

Mas para compensar esse pequeno abismo sem posts, lá vem a nossa querida Chris, que escreve nossa coluna semanal “Por que Alemanha?” para nos encher de alegria com mais um post lindo!

O que eu mais gosto nesses textos da Chris é que dificilmente você vai encontrar informações sobre as cidades, passeios e paisagens que ela traz aqui em qualquer outro site ou guia turístico. Por morar na Alemanha e ser uma curiosa nata, ela sempre descobre lugares incríveis, como o de hoje, que tem, inclusive, a maior coleção de trenós do mundo. Você sabia que em algum lugar do mundo existia uma coleção de TRENÓS? Nem eu! E é por isso que eu amo essa coluna! <3

Mas eu já falei muito. Clique AQUI para ver os demais posts do “Por que Alemanha?” e divirta-se!

Por que Alemanha - Bad Urach

Alemanha – Bad Urach

E lá vamos nós, passear por uma linda cidade situada no coração da reserva da biosfera tombada pela UNESCO, aqui o que não falta é qualidade de vida.

Bad Urach é uma pequena cidade no pé da “Schwäbischen Alb”, localizada no distrito de Reutlingen em Baden-Wuerttemberg. Garanto que será muito difícil achar esta pequena e histórica cidade, que já serviu de sede da moradia dos reis de Württemberg-Urach, em qualquer guia turístico.

Bad Urach - Cidade

A cidade é pequena, somente 13.000 habitantes, mas vejam o que, somente num piscar de olhos, descobri por aqui:

– Praça central medieval

No centro da cidade de Bad Urach encontramos esta linda praça que servia de mercado medieval, com suas casas em estilo enxaimel, datadas no século 15 e 16, marcante é a visita na igreja de St. Amandus, de estilo gótico.

Bad Urach - Praça Medieval

– Palácio real Urach

O palácio real Urach foi construído em 1443. Durante algum tempo, ele foi usado como residência durante a divisão dos Württemberg. O palácio também foi o berço do Conde Eberhard V e Christoph duque de Württemberg. 

Bad Urach - Palácio Real

Marcante é a sua arquitetura, em especial seu hall, com suas abóbadas góticas. O salão das palmeiras é algo totalmente inesperado! Lindo e diferente, com as representações mais antigas da palma na Europa (acho que minha memória tropical se sentiu especialmente tocada por esta menção), e a Câmara de Ouro, um dos melhores salões renascentistas no sul da Alemanha.

Bad Urach - Interior do Palácio Real

O castelo é o único remanescente do palácio residencial que data do auge do ducado do Württemberg no final da Idade Média. Somente seu “Salão Dourado” com sua magnitude, já vale uma visita.

– A maior coleção de trenós do mundo

Urach é mesmo surpreendente! Aqui nas instalações do palácio está a maior coleção de trenós servidos para transporte cerimonial, datados do século 17 e 19! 

Ricamente esculpidos e em formatos inesperados, os veículos eram usados para a diversão do duque de Württemberg, no inverno.

Bad Urach - Trenós

Peças que são verdadeiras obras de arte!

Mas além de tudo isto, Bad Urach é local perfeito para caminhadas.

Há exatamente um ano, em 3 de Maio de 2014, foi inaugurado o percurso com cinco trilhas “premium” Grafensteige, (testadas e certificadas pelo Instituto Alemão de Caminhadas) para felicidade de todos os amantes de caminhadas da região!

Bad Urach - Trilhas

Não é possível precisar quantas pessoas já passaram por estes cinco roteiros neste ano.

Caminhada é um esporte que nos últimos anos tem se tornado muito popular. Os adeptos a caminhadas esperam mais e mais uma melhor estrutura. Um ponto importante é a sinalização completa e confiável, o que é condição básica para uma trilha premium e por isto mesmo são tão apreciadas.

Bad Urach - Trilhas 2

Mas este não é o único critério para se obter esta certificação. A rota tem que ser variada com relação a caminhos e paisagens, com mínimo trecho asfaltado, pontos importantes relativos a paisagens e vistas, boa mobilidade pelos caminhos e excelente sinalização. A região de Bad Urach se enquadra perfeitamente nestes aspectos.

Eu completei a trilha até a cachoeira Urach, que por si só é uma experiência muito agradável, mas em conjunto com a vista deslumbrante de todo o percurso, faz da caminhada um grande prazer.

Esta cachoeira tem uma queda livre de 37 m sobre falésias e suas águas percorrem 50 metros ao longo de um caminho de calcário, rodeado por musgos, é lindo!!!

A trilha “Grafensteige” não é feita para passeio, e sim para caminhadas. Desta forma, é extremamente recomendado o uso de calçado adequado. Principalmente depois e durante as chuvas a rocha calcária e o solo podem ser muito escorregadios.

E uma experiência à parte neste lindo vídeo: o despertar da natureza no início da primavera, em abril 2012, em “Grafensteige”. Se puder, pare tudo o que você estiver fazendo e ative seus sentidos: ouça os pássaros e a água, veja as cores renascendo, e os aromas que surgirão neste desabrochar, sinta nas mãos o frescor da água e a umidade das pedras…

>>Por que Alemanha?

– Porque aqui, no distrito de Frauenwald, ocorrerá em 02/2016 o campeonato mundial de corrida de trenós com Huskies. Excelente programa para uma gélida semana de inverno! Torcerei pela vitória alemã!”