Category Archives: Monte Verde

O lugar ideal para um fim de semana romântico inesquecível!

Se você tem um namorado(a)/marido/mulher/peguete/rolo/enrosco/ficante e gostaria de passar um fim de semana romântico inesquecível, continue lendo esse post. Se esse não for o seu caso, leia mesmo assim, porque você pode indicar pra alguém 😉

Uma grande amiga minha (beijos, Andy!) veio toda empolgada no WhatsApp contar como o fim de semana romântico dela tinha sido incrível, maravilhoso, inesquecível, perfeito, o máximo, sensacional. A história é mais ou menos a seguinte: o namorado dela (beijos, João!) faz aniversário mês que vem e ela queria dar um presente especial. Fugir do convencional, sabe? Então ela pensou em uma viagem. Mas tinha que ser “A” viagem. E não “A” viagem em termos de distância ou preço, mas no sentido de ser algo especial mesmo, romântico, que eles pudessem curtir um ao outro e relaxar. Nada mais justo, afinal ambos tem a rotina bem corrida – como a maioria de nós, reles assalariados.

Depois de muitas pesquisas nessa internet de meu Deus, ela finalmente encontrou o que procurava. Um hotel aconchegante, luxuoso (porque de vez em quando pode, né?), perto e por um preço acessível, perfeito para o fim de semana romântico que ela estava querendo. E o post de hoje é sobre esse achado, já aproveitando o gancho do Dia dos Namorados! S2

Geralmente, eu escrevo sobre as minhas próprias experiências quando vou indicar um lugar. Mas confio muito no bom gosto das minhas amigas (ouuunnn, como sou fofa!) e sei que uma recomendação delas deve ser compartilhada. Ainda mais quando feita com tanto ênfase! Hehehe Se vocês vissem a empolgação com que a Andy falou sobre esse hotel, iam entender porque resolvi trazer essa dica aqui! Fiquei tão animada para ir também que, se não estivesse do outro lado do mundo, já estaria fazendo check-in a-go-ra! #fato

Mas chega de blábláblá e vamos ao que interessa. O hotel se chama Mirante da Colyna e fica na linda cidadezinha de Monte Verde – MG. Monte Verde é tipo o Campos do Jordão mineiro, sabe? Fica até mais perto da capital paulista do que Campos.

Abre parênteses: inclusive, eu estive em Monte Verde no ano passado e escrevi dois posts, um com todas as dicas sobre as diversas trilhas da cidade e outro com o que tem para fazer por lá. Também dei dicas do que fazer em Extrema, cidade vizinha e que pode ser uma boa opção para se hospedar e passear! Clica nos links porque vale a pena! Fecha parênteses!

Além do pacote de hospedagem em si (eles ficaram duas diárias), ela resolveu ousar e comprar também um pacote do Spa. O tratamento que fizeram foi o Coklat (Terapia do Cacau) que… gente, o que é isso?!?!?!?! Leia você mesmo a descrição na página do hotel e pira:

“Função: relaxante e altamente hidratante, trás brilho e vitalidade a pele.
Um delicioso Banho de Ofurô a base de cacau, com óleo de amêndoas e hortelã pimenta, para preparar a pele, e onde será degustado frutas com chocolate. Seguimos para uma esfoliação corporal com cristais de quartzo. E para finalizar uma Massagem Relaxante com um creme nutritivo, preparado com óleos essenciais.”

Não é chique demais isso? E você não queria estar nesse ofurô comendo fondue de chocolate nesse exato momento? Lembra que tudo isso é feito em casal, então pensa em um programa romântico? Não dá para ser mais romântico do que isso, não dá!

Fim de semana romântico - Spa 01

Fim de semana romântico - Spa 02

Spa!

Ela também disse que a comida do hotel é fantástica, tanto o café da manhã (nas palavras dela: “o café mais top da vida”) quanto o jantar que eles pediram no quarto. E a vista… Ah, essa vista…

Fuçando no site do hotel, dá para ver que eles tem uma infraestrutura bem completa. Além do Spa, que tem várias opções de massagens, banhos e tratamentos (clica AQUI para ver tudo), o hotel Mirante da Colyna conta com piscina aquecida, saunas, deck, quadra de tênis, trilha ecológica, salão de jogos, sala de cinema, sala de games e área fitness. Tá bom ou quer mais? 😉

Fim de semana romântico - Lazer

Infraestrutura completa.

Os quartos também são incríveis. Minha amiga reservou a opção mais simples porque o hotel já tem bastante coisa nas áreas comuns, não precisava de mais nada no quarto! E se isso aqui é o mais simples… Olha só que chiqueza o Chalé Luxo:

Fim de semana romântico - Chalé Luxo

Chalé Luxo

Deu para entender porque ela ficou tão enlouquecida com esse fim de semana romântico, né?

Achei esse hotel a alternativa perfeita para curtir um fim de semana romântico e comemorar uma data especial, como aniversário de namoro, casamento, lua-de-mel… #FicaADica

Enfim, gente. Acho que é isso! Eu só sei que fiquei completamente apaixonada por esse hotel e quero MUITO conhecer quando voltar para o Brasil. Quem sabe não faço como a Andy e preparo uma surpresa para o meu namorado? 😉

Ah, queria deixar claro que isso NÃO é jabá, ok? Estou dando essa dica porque achei boa de verdade!

*Imagens: divulgação

Trilhas em Monte Verde – Tudo sobre

As famosas trilhas em Monte Verde. Continuando o assunto do post anterior, vamos agora fazer um guia prático sobre as várias trilhas da cidade: dicas, recomendações gerais e detalhamento uma a uma. As trilhas são as atrações mais buscadas para se fazer na cidade, e continue lendo o post que você vai entender porque 🙂

Monte Verde tem 5 trilhas diferentes, cada uma com uma particularidade e um nível de dificuldade. Vou abordar as questões gerais e depois falar sobre cada uma delas, ok? Vamos lá!

Trilhas em Monte Verde - MapaComo chegar: o acesso às trilhas é feito por duas estradas de terra, ambas saindo da rua principal da cidade (Av. Monte Verde). Você verá placas indicando os nomes das trilhas. É só seguir:

Rua Mantiqueira (esquina com um Banco do Bradesco) e que dá acesso às trilhas do Chapéu do Bispo, Platô e Pico do Selado.
Avenida das Montanhas (próxima direita depois do Banco do Bradesco, um quarteirão depois da Rua Mantiqueira) que leva às trilhas Chapéu de Bispo (também), Pedra Redonda e Pedra Partida.

Como funciona: você vai ter que deixar o carro na entrada das trilhas. Na primeira existe estacionamento (R$10 o dia), mas a maioria deixa o carro na rua mesmo, sem problemas. Ambas também tem banheiro, mas a estrutura da segunda é melhor. Tem um restaurante super fofo!

Trilhas em Monte Verde - Entrada TrilhasQuanto custa: entrada gratuita para todas elas.

O que levar: é imprescindível levar uma mochila com água e comida. Apesar do frio, as caminhadas são longas e é importante se manter sempre hidratado. A partir do momento que você entra nas trilhas, não existe nenhum ponto onde possa comprar alguma coisa e, muito menos, banheiro. Por isso, prepare-se antes de começar. Além disso, pode acontecer de alguém se perder demorar mais que o previsto para voltar, por isso é muito importante ter água e comida suficientes.

Como medida de segurança, nunca é demais levar uma lanterna para o caso de você ainda estar na trilha quando escurecer.

Relógio. Pode parecer besteira mas é sempre bom monitorar a hora para evitar ficar escuro. Ah, é máquina fotográfica, claro! As paisagens são de tirar o fôlego!

Vestimenta indicada: tênis e roupa confortável. Leve pelo menos mais uma blusa com você, já que no alto das montanhas é extremamente frio. Também sugiro ir de calça comprida mesmo que esteja calor, já que as trilhas são fechadas e a gente acaba se raspando nas folhas e galhos o tempo todo. Além disso, sempre existe a chance de escorregar e cair, por isso estar com as pernas protegidas é uma boa ideia 🙂

Dica de ouro: não deixe para começar as trilhas em Monte Verde à tarde. Você pode se perder, ficar andando em círculos ou, simplesmente, não ver o tempo passar e acabar escurecendo no meio do caminho.

Dica de ouro 2: alongue-se antes de depois de fazer as trilhas. Isso fará muita diferença, acredite.

Quantas trilhas fazer no mesmo dia: olha, isso vai muito do seu preparo e condicionamento físico. Sem dúvida, as trilhas da Pedra Redonda e Pedra Partida podem ser feitas juntas, mesmo porque parte do caminho é o mesmo. Apesar de não ter feito a trilha do Chapéu de Bispo, acredito que dê para incluí-la nesse dia também, já que o nível de dificuldade dela é considerado fácil.

Trilhas em Monte Verde - Entrada Trilhas 2As trilhas do Platô e Pico do Selado tem que ser feitas juntas, já que, para chegar no Pico, você acaba passando no Platô de qualquer forma.

Se você está pensando em fazer todas as trilhas no mesmo dia, esquece hehehe. No mapa dá para ver que a Pedra Partida fica bem longe do Pico do Selado, e isso tomaria um dia inteiro. Além disso, duas trilhas juntas já é bastante cansativo, pois muitos trechos são subidas, descidas (que podem cansar tanto quanto as subidas), tem degraus, precisa se pendurar e escalar pedras.

Trilhas em Monte Verde - Entrada Trilhas 3Sugestão de roteiro: se você tiver apenas um final de semana para ficar em Monte Verde e quiser conhecer todas as trilhas e fazer a Megatirolesa (falei dela no post anterior! Clica aqui!), sugiro fazer o seguinte:

– Dia 1: Megatirolesa de manhã e depois as trilhas das Pedras Redonda, Pedra Partida e Chapéu de Bispo (se der).
– Dia 2: Platô e Pico do Selado. Você vai ficar m-o-í-d-o depois dessa maratona!

Vamos agora às trilhas de fato. Vou classificar o nível de dificuldade de acordo com a minha percepção, porque às vezes eu discordei do que eles colocaram na placa! rs Mas não é nada técnico nem científico, ok? hehe

Pedra Redonda

Nível de dificuldade: fácil

Te todas as trilhas em Monte Verde, essa é a mais tranquila. Tem um pouco de lama no começo, mas nada de mais. Existem uns trechos de subida que é preciso parar para respirar (lembra do que falei sobre o ar rarefeito no post anterior?). Na parte final tem degraus de madeira e corrimão, o que ajuda bastante.

Deixe para descansar e comer alguma coisa quando chegar lá em cima. A Pedra é enorme e você pode ficar um tempão sentado lá (se você aguentar o frio…).

Trilhas em Monte Verde - Pedra Redonda 1

Trilhas em Monte Verde - Pedra Redonda 2

Monte Verde - Pedra Redonda 3

Trilhas em Monte Verde - Pedra Redonda 4

Trilhas em Monte Verde - Pedra Redonda 5

Pedra Partida

Nível de dificuldade: cansativa!

Nessa trilha não existe nenhum degrau de madeira ou corrimão para ajudar, mas boa parte dela é tranquila. Entretanto, existem alguns trechos com degraus altos de terra onde só cabe um pé por vez, e às vezes é preciso se apoiar em alguma árvore próxima para conseguir subir. A perna cansa bem! Além disso, muitos desses trechos são de barro mole, o que dificulta um pouco e aumenta as chances de cair de bunda no chão rsrs. E claro, tudo o que sobe, desce. E descer não é, necessariamente, mais fácil.

Ao chegar no topo, é preciso “escalar” a tal da Pedra Partida. Contornando pela esquerda dela é mais fácil, apesar de não parecer! Ela não é muito grande, então não cabe tanta gente lá em cima de uma vez. Para descer, vá pelo mesmo caminho que você subiu e desça abaixado que fica melhor.

Para voltar, fique de olho em alguns pontos de referência. Nós demos umas três voltas no mesmo lugar porque erramos uma entrada e acabamos subindo de volta hahahaha. Em um determinado ponto, tem dois panos vermelho e branco pendurados em uma árvore. Marque bem essa imagem, já que os panos estarão à sua esquerda quando você estiver subindo. Sendo assim, eles devem estar à sua direita na volta (dãr). Em um dado momento, após passarmos por eles à nossa direita, passamos novamente por eles à nossa esquerda tempos depois, ou seja, estávamos subindo de novo! hahaha

Como já era fim de tarde quando estávamos voltando, já não tinha mais ninguém subindo a trilha e acabamos ficando sem referencia nenhuma, já que encontrar alguém no sentido contrário te dá mais certeza de que você está no caminho certo. Por isso, não deixe para entrar na trilha depois do meio da tarde.

Achei essa trilha MUITO LEGAL, mas bem cansativa. O sobe e desce é intenso e as pernas (e os joelhos) precisam estar preparadas!!

Trilhas em Monte Verde - Pedra Partida 1

Trilhas em Monte Verde - Pedra Partida 2

Trilhas em Monte Verde - Pedra Partida 3

Platô

Nível de dificuldade: cansativa, mas fácil

Na verdade, apenas o trecho inicial da trilha é cansativo, mas de uma maneira mais intensa rsrs. O começo dela todo tem degrau (e não os de madeira, os naturais, de terra mesmo) e agente não para de subir um minuto. Exige bastante, mas não é difícil, apenas precisa parar para respirar de vez em quando.

O Platô em si é uma pedra gigantesca e dá para ficar por ali um tempão. Ande por tudo e tire fotos de todos os ângulos!

Trilhas em Monte Verde - Platô 1

Trilhas em Monte Verde - Platô 2

Trilhas em Monte Verde - Platô 4

Trilhas em Monte Verde - Platô 3

Pico do Selado

Nível de dificuldade: fácil, mas chocante surpreendente no final

A maioria das pessoas não faz essa trilha, por ser a que tem a maior altitude (2.080 m), mais longa (são uns 40 minutos até chegar no Platô e mais 1 hora até o Pico) e uma pedra dificílima de escalar no final.

A entrada para essa trilha fica meio escondida e nós não a encontramos fácil. É preciso descer a pedra do Platô, cruzar uns matos e aí você acha uma placa velha indicando a direção do Pico do Selado. Mas como existem duas trilhas que chegam ao Platô (uma vinda da entrada principal da Rua Mantiqueira (que foi a que fizemos), e outra vinda do Chapéu de Bispo, acabamos pegando a errada e tivemos que voltar. Para quem vir da trilha da entrada principal, ao chegar no Platô, tem que seguir à direita para chegar na trilha do Pico. Se for pra esquerda, vai sair na trilha do Chapéu de Bispo.

Apesar de ser considerada de nível difícil e ser longa, a trilha em si é bem simples. Ela é plana boa parte do tempo e mais pro final começam a rolar umas subidas. Nos últimos 15 ou 20 minutos, a cada 5 você sai em uma pedra diferente com vista para toda a Serra da Mantiqueira. Vale à pena parar um pouquinho para admirar.

Trilhas em Monte Verde - Pico do Selado 1

Trilhas em Monte Verde - Pico do Selado 2A grande surpresa se encontra no final (e é por isso que ela é classificada como “difícil”, deduzo eu!). No topo do pico, existem duas grandes pedras uma ao lado da outra (ou será uma gigante rachada no meio? Quem sabe…) e o barato é subir nelas e assinar um livro que está preso lá em cima. Aí é que está o grande desafio: é MUUUITO difícil fazer isso.

Na pedra principal (a que tem o livro), existe uma corda fixa que serve para fazer a escalada. Sem ela, NÃO TEM COMO subir. O problema é que continua sendo bem difícil mesmo assim, e a maioria das pessoas que encontramos por lá não conseguiu subir nem mesmo com a ajuda da corda.

Como estava uma certa fila para usar essa corda e o pessoal não estava tendo muito sucesso na empreitada, decidimos tentar pela outra pedra. Aí moram mais dois problemas: Apesar de menos íngreme do que a primeira, ela não tem muito apoio que ajude a escalar, o que torna a missão praticamente impossível. Depois de um tempo tentando, cheguei em um ponto que não conseguia mais nem subir, nem descer, pois qualquer passo em falso e eu me quebrava inteira (mesmo). Tive que me apoiar de costas, fazer uns malabarismos e ser puxada pela mão de um amigo que já estava lá em cima. E olha, foi tenso, viu? Comecei a rir de desespero quando cheguei lá em cima. Quase nem acreditei que consegui!

Mas pensa que acabou por aí? Nããããão! Já que eu estava lá em cima, tinha que assinar o tal do livro, né? O problema é que o livro fica na pedra principal (a que tem a corda), e para chegar nela, o único jeito era pular uma fenda de 1 metro de largura que separa uma pedra da outra. E essa fenda dava no… abismo! É, rapaz… E o pavor medo de cair?

Trilhas em Monte Verde - Pico do Selado 3

Trilhas em Monte Verde - Pico do Selado 4

Trilhas em Monte Verde - Pico do Selado 5

Trilhas em Monte Verde - Pico do Selado 6Mas aí eu já não tinha muita opção. Não tinha como eu descer daquela pedra em que estava porque era MUITO íngreme, e a única forma era tentar descer pela corda que estava na outra pedra ou chamar os bombeiros. HAHAHA No fim das contas, me jogaram a corda da outra pedra para eu segurar e me dar mais segurança. Não pensei muito e pulei! Ufa! Cheguei viva do outro lado aeee! Aí foi a minha segunda risada de desespero. No tempo em que ficamos lá em cima, somente um casal e outro cara conseguiram assinar o livro. E nós! Uhu!!

Descer pela corda também foi uma aventura, já que foi praticamente um rapel a 2.080 m de altura. A parte final é a mais difícil, pois a inclinação é de quase 90º. Mas deu certo!

Voltei o caminho todo tremendo de adrenalina e pensando na doideira que foi aquilo. Mas posso falar? Foi INCRÍVEL e, definitivamente, faria tudo de novo!

Depois de dois dias andando em trilhas, sem dúvida nenhuma você vai estar todo quebrado. Exige bastante dos músculos e do joelho, mas compensa demais!

 

É uma pena que as fotos não consigam mostrar a beleza e a imensidão (e a altura!) de cada uma dessas paisagense trilhas em Monte Verde, só estando lá para ter total dimensão!

E sorry pelo texto gigantesco, mas tentei dar o máximo de informações que consegui 🙂

Bjos!!

O que fazer em Monte Verde


Já que está frio e não tem muito o que fazer a esse respeito, o jeito é tentar curtir o inverno no melhor estilo, né? Aí a gente já se imagina se entupindo de fondue em um final de semana nas montanhas, usando todos aqueles gorros, luvas, cachecóis e sobretudos que não usamos o ano inteiro e tirando selfies ao lado de termômetros gigantes que marcam temperaturas baixíssimas (para o nosso parâmetro, claro).

E se, além de tudo isso, você ainda quiser dar um toque de aventura e natureza para o seu final de semana gelado, recomendo fortemente que você vá para Monte Verde, cidadezinha no sul de Minas localizada na Serra da Mantiqueira.

Monte Verde vem aumentando sua relevância dentre os destinos preferidos dos endinheirados para curtir o frio. E não é para menos, já que ela oferece tudo o que se espera de uma cidade serrana turística: bons (e caros) restaurantes, lojas de chocolate, malhas, couros e afins, variedade de hotéis e muita, mas muita natureza. Fora o clima delicioso e charmoso de cidade realmente pequena, já que tudo isso fica localizado em praticamente uma única rua.

O que fazer em Monte Verde - rua principalE já deu para perceber que agito noturno não é bem o forte da cidade, né? Quem está em busca de baladas noite a dentro, talvez se fruste um pouco. Mas existem muitos restaurantes com pegada meio bar. Muitos deles tem mesas externas, música ao vivo e muita comida e bebida. No fim da tarde, vá caminhando pela rua principal e escolha um deles para sentar e tomar uma cerveja importada. É a hora de maior movimento do dia no inverno, e um jeito delicioso de passar o tempo!

O que fazer em Monte Verde - Bar

O que fazer em Monte Verde - Cerveja

O que fazer em Monte Verde

– Megatirolesa

O nome não é exagero. É uma MEGA tirolesa mesmo, pois tem 450 m para ir e 475 m para voltar a uma altura de quase 70 m. O passeio é rápido, mas é muito divertido! A gente passa no meio das árvores e por cima do vale que liga uma montanha na outra. SENSACIONAL! Essa tirolesa fica em um lugar chamado Circuito Fazenda Radical, onde é possível alugar quadriciclo também, para que gosta.

Como chegar: saindo de Monte Verde sentido Camanducaia (é a mesma estrada pela qual você chegou na cidade), ande uns 5 Km e você verá placas indicando a Megatirolesa. A Fazenda Radical fica em uma saída de terra dessa estrada principal, mas é super fácil de chegar e bem sinalizado.

Quanto custa: R$65 por pessoa (sim, é caro, mas os equipamentos são bastante seguros, a equipe é bem treinada e a empresa faz uma manutenção periódica na estrutura da tirolesa).

Pode levar celular/máquina fotográfica durante o passeio? Sim. Eles te dão um saquinho que vai preso no seu capacete e fica por dentro da sua blusa. Nele, você pode colocar um celular ou máquina para tirar foto quando chegar do outro lado (nunca no caminho!). Se você tiver uma GoPro, pode levar na mão tranquilamente.

Alerta básico: entre as tirolesas de ida e volta, você precisa andar cerca de 90 metros. Não se assuste se você ficar muito ofegante durante esse percurso – não, você não está tão fora de forma assim-, é que a grande altitude da região faz o ar ficar rarefeito e, consequentemente, mais difícil para respirar, por isso a sensação de cansaço rápido. A dica é parar no caminho sempre que preciso para recuperar o ar e andar devagar, segurando no corrimão 😉

Monte Verde - Megatirolesa 1

Monte Verde - Megatirolesa 2

Monte Verde - Megatirolesa 3

Monte Verde - Megatirolesa 4

– Trilha do Pinheiro Velho

Existe uma trilha bem fácil e tranquila no meio da cidade, com 5 entradas espalhadas pelas principais ruas. É só entrar em qualquer uma delas e seguir as placas. Não exige preparo físico e nem roupa adequada, é apenas uma maneira agradável de dar uma volta e qualquer um pode fazer.

O que ver: como “atração”, existe apenas o tal do Pinheiro (que dá nome à trilha) e uma fonte de água potável.

Quanto custa: absolutamente nada.

Quanto tempo leva: uns 15 minutos, se você andar com calma.

Monte Verde - Trilha Pinheiro Velho 1

Monte Verde - Trilha Pinheiro Velho 2

Monte Verde - Trilha Pinheiro Velho 3

Monte Verde - Trilha Pinheiro Velho 4

Monte Verde - Trilha Pinheiro Velho 5

Onde comer o melhor rodízio de fondue

Acredita que eu ainda não sei o nome do restaurante? HAHAHA pois é. Mas não tem como não encontrar. Para variar, ele fica na rua principal (Avenida Monte Verde), é aberto, tem música ao vivo (que dá para ouvir de dentro da Trilha do Pinheiro Velho, by the way) e fica enfrente a um lago artificial. Não tem como errar. De verdade. É o mais badalado, movimentado. De dia e de noite.

Quanto custa: cerca de R$60 por pessoa. O rodízio inclui os fondues de carne (na chapa), queijo e chocolate e pode comer à vontade.

Dica: nas noites geladas, mesmo que você esteja quase congelando, vale à pena ficar nas mesas externas (mesmo porque tem poucas opções dentro). Tem todo um clima de cidade serrana!

O que fazer em Monte Verde - Restaurante

O que fazer em Monte Verde - Fondue

Bem na frente desse restaurante/bar fica um outro do mesmo dono, com mesas do lado de fora também. Apesar da comida ser igualmente deliciosa, ele não é tão cheio. Sendo assim, dependendo da sua vibe da noite, pode escolher entre um e outro que você não irá se arrepender.

O que fazer em Monte Verde - Termômetro__________________

As próximas dicas são relativas as várias trilhas que Monte Verde tem. Como são várias e eu tenho muita coisa pra falar, vou deixar essa parte para o próximo post, ok (leia aqui!)? Aí conto tudo e dou todas as dicas direitinho, trilha por trilha!

Bjos!!