Tag Archives: chile

Você sabe onde fica a maior piscina do mundo?

Você sabe qual é a maior piscina do mundo? Tem ideia de onde fica? vamos ver se você adivinha… Primeiramente, é bom deixar claro que, quando eu digo “maior piscina do mundo”, é para pensar em algo realmente gigante, enorme, ridiculamente grande. Tipo assim, inimaginável, sabe?

Onde fica a maior piscina do mundo?

Vamos a alguns números, então. A maior piscina do mundo tem 1Km de extensão (isso mesmo que você leu: UM Q-U-I-L-Ô-M-E-T-R-O), 250 milhões (é, MILHÕES) de litros de água e ocupa uma área de 8 hectares (OITO, gente, OITO!). Isso daria, mais ou menos, cerca de 20 piscinas olímpicas. Com essa tamanhão todo, é possível mergulhar, velejar, fazer caiaque ou, até mesmo, navegar com pequenas e médias embarcações. Tá bom, ou quer mais?

Ela foi construída em 2006 e fica bem pertinho do mar. A água é tão cristalina que a gente baba só de ver as fotos… E aí você pensa, “como abastecer um negócio desse tamanho com uma água tão bonita assim???”. Para tornar a façanha possível, foi desenvolvido um sistema super avançado que filtra a água do mar ali do lado e joga ela toda linda na piscina. Diz que o gasto para a construção dela foi de cerca de US$1 bilhão (entenda bem: um BILHÃO de DÓLARES. Bi-LHÃO), e que a manutenção anual deve ultrapassar os R$2 milhões…

Onde fica a maior piscina do mundo? - Esportes

E aí? Já consegue imaginar ONDE fica a maior piscina do mundo? Alguma ideia? Assim, num primeiro momento, eu chutaria algum lugar nas Ilhas Maldivas, Tailândia, Caribe, Emirados Árabes… Ou algum lugar bem remoto e de difícil acesso. Sabe aquelas coisas super-hiper exclusivas, que só se chega de ultraleve ou similares? Pensaria nisso.

Mas, pasmem. Acredite se quiser, esse paraíso aquático fica aqui perto… no Chile, a 90 quilômetros da capital, Santiago. U-hum. No Chile! Nosso vizinho. Chi-chi-chi le-le-le. (Temos uma série SUPER especial escrita por uma amiga minha que passou 5 dias em Santiago e deu todas a dicas do que fazer por lá nesse tempo. Clique AQUI pra ler!). Tão conhecido por suas montanhas com neve, que a gente nem iria imaginar que uma super piscina dessas ficaria lá, hein? E nem que a temperatura da água dela, no verão, gira em torno de 26ºC (9ºC a menos que nos mares da região).

Onde fica a maior piscina do mundo? - Esportes

A piscina pertence ao hotel San Alfonso del Mar (clique AQUI para visitar o site – disponível em espanhol e inglês), e para usá-la é preciso estar hospedado 🙂

Nesse calor… Que vontade que dá!!!

5 dias em Santiago: 5° Dia – Passeios e compras em Santiago – por Camila Meister

O 5° e último dia da Camila em Santiago do Chile foi dedicado a explorar um pouco mais a cidade, com direito a visitar o Museu de Arte Pré-Colombiana, assistir a troca de guarda no Palácio de La Moneda, comidinha no Restaurante Giratório e mais. Além disso, a Cá nos deu algumas outras sugestões de passeios pela cidade e arredores e recomendações sobre onde fazer compras em Santiago – e se compensa, na opinião dela!

Vamos ao grand finale, então?? 🙂

Compras em santiago

Como todas as viagens que faço, gosto de deixar um dia livre, onde posso conhecer a cidade de uma forma mais independente, sem roteiros. Nosso último dia em Santiago foi dedicado a isso.

Saímos logo cedo e pela primeira vez, resolvemos andar de metrô. Foi uma experiência tranquila, nada diferente do que temos no Brasil. O valor é super Ok, e apresentando a carteirinha, estudantes pagam meia. Ah! E a tarifa muda de acordo com o horário, segue:

Horário de pico (7h00-08h59 e 18h00-19h59) = $660 CLP (R$2,64)

Horário normal (6h30-6h59, 09h00-18h00 e 20h00-20h44) = $600 CLP (R$2,40)

Horário baixo (6h00-6h29 e 20h45-23h00) = $550 CLP (R$2,20)

Decidimos ver a troca de guarda no Palácio de La Moneda, que acontece a cada dois dias (Programação AQUI). É bem interessante, mas para quem não curte não recomendo, pois há uma certa demora para começar e tem duração de 1 hora.

Compras em Santiago - Troca da Guarda

Enquanto esperávamos, tivemos a companhia dos lindos cães de rua que tem no Chile. Sério, todos são super bem cuidados, com coleiras e roupinhas. Adoro animais e fiquei encantada com o tratamento que eles recebem. Até ouvi de um chileno “os cães no Chile são como as vacas na Índia”. Muito amor!

Após a apresentação, resolvemos caminhar pela cidade, infelizmente era domingo e estava tudo fechado, só havia alguns desavisados como nós perambulando para encontrar algo a fazer, foi ai que decidimos conhecer o Museu de Arte Pré-Colombiana.

Não me recordo muito bem do valor, mas digo que valeu cada peso. O primeiro andar é bem interessante, com esculturas em pedras e barros e a riqueza dos tecidos feitos pelos andinos, porém é no subsolo onde encontramos toda a história do chile e os povos que ali habitam e habitaram um dia.

Compras em santiago - museu

Depois de tanta cultura, precisávamos comer e como TUDO estava fechado por ali, decidimos ir em mais um lugar turístico, o chamado “Restaurante Giratório”.

Uma delicia de lugar, ao lado da estação de metrô Los Leones, com uma vista linda e uma comida maravilhosa. Logo que fiquei sabendo do local, me interessei pelo conceito e digo, é demais! Não é possível sentir o ambiente girar, mas é uma experiência diferente você se deparar virada para uma vista totalmente diferente da de quando chegou.

Compras em Santiago - Restaurante GiratórioCompras em Santiago - Restaurante Giratório 2Como tivemos pouco tempo, não conseguimos fazer tudo que tinha pela cidade. Também há os passeios para as vinícolas próximas a capital chilena, como a famosa Concha y Toro. Não sou das maiores apreciadoras de vinho e já tinha estado em outras vinícolas, por isso optei por não incluir no roteiro.

Outro lugar interessante para conhecer, são as casas-museus de Pablo Neruda, um poeta chileno. Há três casas que podem ser visitadas, uma em Santiago no bairro Bellavista, outra em Valparaíso e a última na cidade de Isla Negra.

Para quem vai viajar para “fora”, sempre há dúvidas sobre o câmbio, quanto levar, onde trocar, entre outras perguntas. Em relação a “quanto levar” acredito que depende muito do seu interesse em compras, principalmente nos vinhos e de quantos dias irá ficar. Já a troca do câmbio, eu fiz no Brasil mesmo, mas acho interessante fazer uma pesquisa antes para descobrir o que vale mais a pena no período em que for viajar. Eu fiz isso, porém chegando lá, não achei que compensou tanto.

Sobre “compras em Santiago”, acredito que o Chile não seja o tipo de viagem para fazê-las, ainda mais quando os preços são bem próximos ao nosso. Mas como em toda viagem, gosto de trazer souvenirs e fiquei bastante interessada quando li sobre a pedra lápis-lazuli que é somente encontrada no Chile e no Afeganistão, então logo que cheguei já fui à procura da bonitinha.

Dentro do Pátio Bellavista é possível encontrar algumas lembrancinhas bacanas, porém há uma feira de artesanato na frente do Cerro de Santa Lúcia onde os preços são mais amigáveis.

Já para quem está realmente interessado em compras além das lembrancinhas, tem o Shopping Parque Arauco, onde pode ser encontrado roupas de neve da marca Columbia, botas Ugg e também tem uma Forever21. Já o Shopping Costanera Center, chama atenção por ter como vizinho a vista para as cordilheiras e também por ser atualmente a maior construção da America Latina com 64 andares. Por fim, há o shopping temático MallSport, que além das lojas, tem como entretenimento parede de escalada, pista de patinação e surf em ondas artificiais.

E para quem tiver oportunidade, há outros lugares lindos para conhecer no Chile, como: Deserto do Atacama, Vulcões e Lagos ao sul, Deserto dos Gaisers e Patagônia Chilena. Voltarei para conhecer todos, mas isto ficará para outros posts. 😉


Acho que é isso viajantes! Espero que tenham gostado e qualquer dúvida, só deixar seu comentário. 😉

______________________

É isso gente! Chegou ao fim a viagem da Camila e, com ela, nossa série sobre 5 dias em Santiago (ahhhhhhhh). Para ler todos os outros posts e ficar por dentro das dicas e passeios, clique nos link abaixo:

Planejamento da viagem – agência, compra de tickets e companhia aérea

1° dia – Passeio pelo centro histórico, Cerro Santa Lucia, Praça da Constituição, Catedral de Santiago e Praça das Armas, Bairro Republica, Bairro Costanera e Shopping Parque Arauco

2° dia – Valle Nevado

3° dia – Viña del Mar e Valparaíso

4º dia – Valle Nevado e Estação Farellones

5 dias em Santiago: 4° Dia Valle Nevado e Farellones – por Camila Meister

Aposto que vocês, assim como eu, estão doidos para começar a programar uma viagem ao Chile, só lendo os posts da Camila! Cada lugar lindo… Afe!

E como ela não é boba nem nada, o 4° dia dela em Santiago foi, de novo, na neve! Claro né? É um dos programas mais procurados por quem está em terras chilenas – e com razão. Para curtir ao máximo esse dia, a Camila e sua amiga foram novamente para o Valle Nevado e para a estação de Farellones, num frio de rachar!

PS.: para ver os demais posts e dicas sobre os 5 dias da Camila em Santiago do Chile, clique nos links a seguir: Planejamento da viagem; 1° dia; 2° dia; 3° dia e 5º dia

Vamos ver como foi? Anotem as dicas aí!!!

Farellones

Por ser nossa primeira experiência com neve, deixamos reservado dois dias para curtir nas cordilheiras. Para essa segunda vez, reservamos um passeio onde poderíamos conhecer um pouco mais da estação Valle Nevado e a estação de Farellones, além de uma parada no meio do caminho para aproveitar os ‘esquibundas’ e a vista digna de cartões postais.

Ainda não era nem 6 horas e já estávamos de pé. Apesar da animação, confesso que tive que usar todas as minhas forças para tomar coragem de enfrentar o frio que fazia lá fora e para ajudar, a previsão nas montanhas era de -5ºC. Estava morrendo de medo, pois nunca estive a uma temperatura tão baixa.

Novamente, antes de começar nossa subida, paramos para alugar roupas e equipamentos. Já a caminho e com o clima nublado, tivemos outra perspectiva da cena. Não consigo decidir qual me deslumbrou mais: o céu azul contrastando com a neve branquinha ou o nublado tornando a vista do céu e montanha uma só.

Farellones - Cordilheira dos AndesNossa primeira parada foi de encontro aos -5ºC prometido, no meio das cordilheiras, com direito a muita neve, frio e vento. Apesar de toda dificuldade de deixar qualquer membro descoberto, era irresistível não tirar milhões de fotos daquele lugar! Foram suficientes 30 minutos de diversão e muitos tombos rs.

Farellones - Camila na CordilheiraO próximo destino era a estação de Valle Nevado. Como já háviamos passado um dia todo lá, não iriamos fazer nenhum passeio específico, decidimos apenas ficar na região dos hoteis, que não conseguimos conhecer anteriormente. Aproveitando o tempo livre, tomamos o nosso café da manhã/almoço, conhecemos alguns brasileiros e observamos as diversas pessoas que, diferente de nós, já dominavam a arte de esquiar.

Farellones - Valle NevadoChegando em Farellones, como já havíamos almoçado e nosso tubing estava marcado só para as 14h, aproveitamos para conhecer o lugar e suas variadas lojinhas. Foi possível perceber que essa estação era mais dedicada aos chilenos, não havia tantos turistas como em Valle Nevado e sim uma grande quantidade de famílias. Uma graça ver crianças que mal aprenderam a andar já esquiando perfeitamente e sem medo.

Vista de Farellones

Pista de FarellonesApós longas 3h de espera, enfim faríamos algo de diferente e divertido. O tubing, é simplesmente uma boia gigante onde você senta e é empurrado para uma pista íngreme. É S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L ! Pura adrenalina e com aquela vista das montanhas tudo fica ainda melhor. Pagamos para apenas 1 hora, mas foi suficiente, pois devido a altitude você cansa muito rápido, ainda mais tendo que carregar a boia.

Farellones - TubingDica: deixem para comer em Farellones ou coloque em seu roteiro mais algumas horas de esqui nessa estação. Há também tirolesa, para adultos e crianças, infelizmente não nos programamos para fazer, mas parece valer a pena.

______________________

Curtiram? Bacana essa última dica que a Cá deu sobre comer em Farellones e as opções de esqui e tirolesa, né? Vale prestar atenção nelas!

5 dias em Santiago: 3º Dia Viña del Mar e Valparaíso – por Camila Meister

O 3º dia da Camila em Santiago foi bastante movimentado também! Para dar tempo de ver um pouco de tudo, ela e sua amiga dividiram o dia entre Viña del mar e Valparaíso, pontos total tem-que-ir para quem está em Santiago!

Para acompanhar as dicas e passeios de todos os dicas, clique nos links a seguir! 

Planejamento da viagem – agência, compra de tickets e companhia aérea

1° dia – Passeio pelo centro histórico, Cerro Santa Lucia, Praça da Constituição, Catedral de Santiago e Praça das Armas, Bairro Republica, Bairro Costanera e Shopping Parque Arauco

2° dia – Valle Nevado

4º dia – Valle Nevado e Estação Farellones

5º dia – Troca da guarda, Museu de Arte Pré-Colombiana, Restaurante Giratório e indicações de compras

E com a palavra, Camilinha!

Viña del Mar

Ir a Santiago e não conhecer Viña del Mar e Valparaíso é quase um crime. Ambas são cidades litorâneas, vizinhas da capital e cada uma com sua particularidade. Para chegar até elas, é possível alugar um carro e fazer o passeio por contra própria ou fechar o passeio com agências locais.

Como tínhamos apenas um dia disponível, decidimos incluir este passeio com a Turistour onde poderíamos conhecer os dois locais em um só dia.

Acordamos cedo novamente e fomos direto para Viña del Mar. A cidade é super aconchegante, com palmeiras bem altas espalhadas pelas ruas. Suas maiores atrações são os diversos castelos e a praia com a água mega gelada pertencente ao Oceano Pacífico.

Viña del Mar - cidade

Viña del Mar - cidade

Viña del Mar - cidade 3

Nossa primeira parada em Viña, foi no Parque Centro, onde está localizado o antigo Museu de Bellas Artes que após o terremoto de 2010 está inativo e um imenso auditório ao ar livre. O lugar é lindo, infelizmente os passeios neste dia são bem rápidos e não pudemos aproveitar tanto.

Viña del Mar - Parque Centro

Viña del Mar - Parque Centro Museu

Viña del Mar - Parque Centro Auditório

Próxima parada foi no Museu Fonck, onde pudemos observar no jardim a estátua de um Moai original, um dos únicos existentes fora da Ilha de Páscoa.

Viña del Mar - estátua de Moai

Almoçamos em um restaurante italiano que o guia indicou. O almoço não está incluso por isso é bom levar uns pesos extras para garantir a alimentação durante o passeio. Após, passeamos de ônibus pela cidade, onde pudemos conhecer o famoso Cassino Municipal de Viña del Mar, o Castelo de Wulff na orla da praia e fizemos uma parada rápida para tirar fotos com o Relógio de Flores.

Viña del Mar - Relógio de Flores

Viña del Mar - castelo de Wulff

Antes de partirmos para conhecer Valparaíso, paramos na praia para apreciar o mar. É engraçado, nasci e morei quase a vida toda em uma cidade do litoral, mas quando descemos em Viña parecia ser a primeira vez. Senti como aquelas tartaruguinhas que acabam de sair do ovo e correm em direção ao mar. Acredito que o fato de estar pela primeira vez diante do pacífico, das lendas e história, me deu uma certa emoçãozinha rs.

Despedimo-nos de Viña, partiu Valparaíso!

Viña del Mar - Valparaíso

Viña del Mar - Valparaíso 2

Viña del Mar - Valparaíso 3

Valparaíso é uma cidadezinha simpática rodeada de morros e para quem já foi ao Caminito em Buenos Aires, encontrará semelhanças em suas casinhas coloridas. Por ser uma cidade portuária, seu lado boêmio e hoteleiro fica de encontro ao cais.

Devido as inclinações dos morros, há regiões onde o acesso dos transportes coletivos não é possível, por isso existe pela cidade 15 funiculares, uma espécie de elevador antigo que faz o transporte nesses pontos.

Viña del Mar - Funicular Valparaíso

Como já podem imaginar, o passeio pela cidade foi um walktour, ainda bem que no nosso caso foram apenas decidas, mas fico imaginando quem precisa subir realmente aquelas ruas estreitas e íngreme todo dia. Haja perna!

Foi bem legal conhecer a cidade andando por ela, pois sua principal atração é justamente a arquitetura das casas e suas cores e dessa forma pudemos encontrar no caminho vários lugares com pinturas desenhas nas paredes, deixando a cidade com um aspecto ainda mais alegre.

Passamos por diversos mirantes e em um deles aproveitamos para conhecer e descer por um dos funiculares existentes na cidade. A experiência é diferente, senti como se tivesse voltado um pouco no tempo e fiquei imaginando se aquilo não iria parar no meio do trajeto com a gente dentro rs. Não há nada de espetacular mas vale o passeio.

Chegamos ao centro, onde havia as construções mais antigas que abriga o correio, a prefeitura e algumas grandes empresas. Logo a frente, encontra-se o porto e em suas proximidades lojas de artesanatos, souvenirs e vinho. Recomendo fazer uma parada por ali pois há bastante objetos diferentes dos encontrados na capital.

Para encerrar o tour fizemos um passeio de barco, pagamos o valor de $6.000 pesos. O bacana dele é poder andar pelas águas do pacífico e ver Viña del Mar e Valparaiso de outra perspectiva. Os sortudos ainda conseguem ver leões marinhos aproveitando o sol nas boias dos navios atracados, não foi o nosso caso.

Este foi o único dia que chegamos cedo do passeio e nada mais justo, do que curtir um pouco da noite chilena em um dos seus bairros boêmios. Fomos ao Pátio Bellavista, onde há vários restaurantes e bares, tanto dentro dele quanto pelos arredores. Depois de jantar e dar uma volta pelas lojinhas, paramos em uma Starbucks para tomar um chocolate quente, pois o tempo lá fora estava congelante.

Viña del Mar - Pátio Bellavista

Além de aquecer do frio, a parada na Starbucks foi estratégica, pois foi um dos únicos lugares que encontramos um wifi decente para nos atualizar do que acontecia no mundo. Infelizmente o Chile não é um país onde o wifi está em cada esquina, senti muita falta disso porém também foi bom para me desintoxicar um pouco.

__________________

Sem dúvida, Viña del Mar e Valparaíso são umas das principais cidades a se visitar no Chile. aproveite as dicas e Camila e boa viagem!

5 dias em Santiago: 2º Dia Valle Nevado – por Camila Meister

Que bacana que estão sendo esses posts da Camila! Ela passou 5 dias em Santiago do Chile e nos conta, em detalhes, como foi a experiência, qual a programação que ela fez, agência de passeio, valores e todas as dicas úteis.

O segundo dia dela na cidade foi bem animado e é um dos mais esperados por todo mundo que visita o Chile: Valle Nevado. Afinal, esquiar em plena Cordilheira dos Andes é de uma emoção só, né?

Obs.: clique nos links a seguir para ver sobre o planejamento da viagem (agência, compra de tickets e companhia aérea); 1° dia (centro histórico, Cerro Santa Lucia, Praça da Constituição, Catedral de Santiago e Praça das Armas, Bairro Republica, Bairro Costanera e Shopping Parque Arauco); 3° dia (Viña del Mar e Valparaíso); 4º dia (Valle Nevado e Estação Farellones) e 5º dia (Troca da guarda, Museu de Arte Pré-Colombiana, Restaurante Giratório e indicações de compras).

Vamos ver as dicas da Cá sobre esse dia no Valle Nevado!

Valle Nevado

Enfim, o dia mais esperado da viagem. Nossa primeira experiência com a neve, com as cordilheiras e com esqui. Muita emoção para um dia só rs. O despertador ainda nem tinha tocado e já estávamos em pé. Era tanta roupa para colocar, o medo de atrasar e a ansiedade, que acordamos antes do horário previsto.

Por falar em roupas, se você sente muito frio que nem eu, é bom se proteger com as três camadas básicas para um dia de neve, formado por uma peça de roupa térmica, uma de freece e a última impermeável. Lógico, que eu coloquei muito mais roupa do que apenas essas três rs.

(Obs.: quem conhece a Camila, com certeza, riu ao ler esses dois primeiros parágrafos! Sem dúvida, imagino ela toda adiantada, organizada e encapotada! Hahaha)

Valle Nevado - saindo de Santiago

Antes de começar a aventura, paramos para alugar equipamentos e roupas de esqui no local orientado pelo guia, porém também é possível alugar dentro das estações. O valor pode variar por peça, mas o kit completo sai por volta de R$100,00. O recomendado para alugar – caso ainda não tenha – é: blusa e calça impermeável, botas para neve, luvas e óculos.

Equipados, hora de começar a subir! De início parece tudo sem graça, vegetações secas e… cadê a neve tão esperada?! Depois de uma hora, de curvas, de riachos cristalinos, de vacas se equilibrando nas montanhas íngremes, lá estava ela, arrancando os primeiros suspiros daqueles que, como eu, estavam admirando as diversas montanhas com seus picos branquinhos. E a cada nova curva, mais o branco dominava a paisagem e mais admirados ficávamos.

Porém, foi só após 60 curvas, 3 mil metros de altura e uma vista de deixar qualquer um babando, que chegamos no Valle Nevado.

Valle Nevado - caminho da estação

Valle Nevado - Vista

Primeira Impressão: Muito branco, muito frio e muita gente. Precisávamos comprar o “Ticket Day”* e tinha uma fila interminável, por sorte o guia já tinha todo o esquema e comprou o ticket para todos, já com os equipamentos de esqui e a aula inclusos, porém nossa peregrinação em fila só estava começando.

*Ticket Day Valle Nevado: Para ter acesso às pistas de esquis, é preciso comprar o Ticket Day, nome dado ao ingresso de entrada. Na estação há diversos combos que saem por um valor mais em conta do que comprar os tipos de tickets separados. Há combos para famílias, para quem vai alugar equipamento e/ou fazer aula, para quem deseja apenas utilizar a gôndola, entre outros. No site é possível encontrar algumas opções.

Para a nossa sorte, o dia estava lindo e para o nosso azar, todos de Santiago e do MUNDO pensaram como nós. A estação estava lotada, foi o dia mais cheio da temporada e todos pareciam estar na fila para pegar o equipamento. Foram três horas testando nossa paciência e algumas batatas fritas.

Problema 1: Dia de sol + última semana de férias escolares + quinta-feira dia de promoção.

Problema 2: Quantidade limitada de equipamentos para alugar. Era necessário ser liberados os equipamentos para uma nova pessoa utilizá-los.

Dica 1: Pesquise antes os dias de promoções, porque às vezes o barato sai caro.

Dica 2: Se já estiver decidido em fazer aula, alugue o equipamento na parada indicada pelo guia para alugar as roupas.

Durante a fila, conhecemos uma brasileira de Curitiba que viajava sozinha, logo a convidamos para se juntar a nós. Encontrar brasileiros nesses lugares é super comum, na verdade, foram poucos os chilenos que pude perceber no Valle Nevado. Detectei que tinham alguns australianos, argentinos, alemães e muiiiiiitos brasileiros.

Depois de todos os contratempos e longas horas em um ambiente fechado e quentinho, ir para a área aberta foi um verdadeiro choque térmico, mas no meio de tanta euforia, quem liga para isto mesmo?!

Para chegar ao local das aulas é necessário pegar a gôndola, uma espécie de bondinho pequeno. A vista lá em cima é linda, você consegue ter uma visão panorâmica de toda a estação e é ai que descobre como aquele lugar é realmente grande e ativo!

Valle Nevado - gôndola 3

Valle Nevado - gôndola

Valle Nevado - gôndola 2

Eram 15h e a nossa aula ia começar. Chegar até o local indicado foi nosso primeiro desafio, pois era beeem difícil conseguir se deslocar com aqueles calçados mas nada que a prática não resolvesse este probleminha.

As aulas duram 2h, no começo achamos super pouco ainda mais porque passamos a maior parte do tempo em uma fila e também porque a estação fecharia as 17h, não teríamos tempo para mais nada. Porém, a aula nem acaba e você já descobre que é mais do que suficiente… acreditem!

Esquiar não é difícil mas tem seus segredos e, após conseguir dominá-los, você até sente que nasceu para aquilo rsrs. Levei alguns tombos e invadi a pista alheia atropelando a todos (porquê não né?! rs) mas quando peguei o jeito já estava me achando A Profissional rsrs.

Valle Nevado - Camila

Já era hora de irmos embora, o cansaço nos dominava e o dia inesquecível ainda não tinha terminado. Lembram que eu falei que foi o dia mais cheio da temporada? Então! Nem tínhamos saído da estação e já estávamos no meio do trânsito. Apesar de não ter hora para chegar, não ligamos muito para isso, pois pudemos nos despedir daquele dia com um dos pôr de sóis mais lindos que eu já vi.

Valle Nevado - Cordilheira dos Andes

Valle Nevado - Cordilheira dos Andes 2

Valle Nevado - Cordilheira dos Andes 3

Só para conhecimento, chegamos ao hostel às 23h e paramos apenas para devolver as roupas alugadas. (UAUUUUUU !! Sim. ¬¬’)

_______________

Ai gente! Que lugar lindo, né? Foram muito boas as dicas da Camila em relação ao ticket, tempos de espera, valores, aluguel de roupa e etc. Tudo isso ajuda muito quem está pensando em fazer esse tipo de viagem. E as fotos? Mal consegui selecionar para colocar aqui! S2

5 Dias em Santiago do Chile – por Camila Meister

Ai, que delícia quando a gente tem amigos que se dão ao trabalho de compartilhar suas experiências de uma forma tão completa e carinhosa! Uma amiga muito querida (queridíssima!), esteve de férias em Santiago do Chile por 5 dias e resolveu dividir todos os detalhes dessa viagem linda com a gente. Não é demais isso?? #émuitoamor #obrigadaCá! 

Maravilhosamente bem (juro, ela escreve de um jeito delicioso!), ela relatou detalhadamente sobre os passeios que fez, os meios de transporte que escolheu, preços, impressões e todas as dicas super úteis que a gente precisa quando começa a planejar uma viagem. Se você está planejando seu roteiro para Santiago ou quer ter uma ideia do que tem pra fazer por lá antes de decidir seu próximo destino, não perca nenhum post dessa série especial aqui no Blog que começa agora!

**Para ver o roteiro e dicas de todos os dias, clique nos links abaixo:

1° dia – Passeio pelo centro histórico, Cerro Santa Lucia, Praça da Constituição, Catedral de Santiago e Praça das Armas, Bairro Republica, Bairro Costanera e Shopping Parque Arauco

2° dia – Valle Nevado

3° dia – Viña del Mar e Valparaíso

4º dia – Valle Nevado e Estação Farellones

5º dia – Troca da guarda, Museu de Arte Pré-Colombiana, Restaurante Giratório e indicações de compras

Com a palavra… Camila Meister!

Santiago do Chile

Para quem me conhece sabe que férias não é motivo para descansar e sim para fazer mais uma das ‘viagens dos sonhos’. Como as minhas estavam chegando, nada mais justo do que começar os preparativos, concordam?!

Com o tempo limitado e a grana curta, selecionei algumas opções que se enquadravam no perfil. Pesquisa daqui, pesquisa de lá e lá estava eu encantada pela grandiosidade das Cordilheiras dos Andes.

Ok, local definido. Então bora virar Santiago do Chile do avesso para descobrir tudo de bom que a cidade tem a oferecer.

Santiago do Chile - Vista

Como não se apaixonar por essa vista?!

Para os passeios, costumo pesquisar tudo e selecionar os que mais me interessam. Pois mesmo que não dê tempo de fazer, gosto de conhecer TODAS as opções, quem sabe sobra aquele tempinho?

Inicialmente, eu faria a viagem sozinha e seria a minha primeira viagem sem ninguém para compartilhar. Confesso que no início bateu o friozinho na barriga, mas iria mesmo assim. Acredito ser uma experiência que todos devam ter algum dia. Porém, de última hora uma amiga resolveu fechar e foi aquela alegria!

Como iria sozinha, achei melhor fechar os passeios com uma agência de turismo local, além disso li vários depoimentos dizendo que não era recomendável ir para as cordilheiras por conta própria, devido às inúmeras curvas e o asfalto escorregadio. E assim fizemos, fechamos tudo com a Turistour*.

*Agência Turistour: Entre as agências locais ela tem o preço mais alto, porém foi a que encontrei o maior número de recomendações e foi super tranquilo fechar os passeios com eles. Fechamos tudo no Brasil, pelo próprio site da empresa, para assim já deixar garantido e não precisar ter preocupações com isso durante a viagem.

Foi tudo ótimo. Buscaram nos horários combinados, ônibus com aquecedor e limpinhos, os guias nos auxiliaram em todos os passeios e nos davam mais dicas sobre a cidade. Sei que há pessoas que preferem fazer os passeios sem um grupo ou roteiro pré agendado, mas no nosso caso valeu muito a pena, pois conhecemos bastante lugares em um curto espaço de tempo.

Agora sim. Passagens compradas, passeios definidos e mala fechada, partiu Chi Chi Chi Le le le !

Santiago do Chile - Mala

Iniciamos a viagem em grande estilo, pois escolhemos um voo bem cedo e pudemos contemplar a vista da Cordilheira dos Andes do alto, fora que teríamos o dia inteiro para aproveitar ao chegar na cidade.

Para os interessados, a companhia área escolhida foi a Sky Airline, uma empresa chilena que iniciou sua rota no Brasil este ano. A escolha foi devido ao preço favorável e ao horário compatível com o que desejávamos. A aeronave é comum, como as de vôos internos, não havia TV a bordo mas o lanche estava bem gostosinho. Apesar de ter outras companhias que fazem a rota e apresentam melhores opções de entretenimento, acredito ser considerável a escolha da Sky Airline.

Chegando no aeroporto há diversas formas de transportes até a cidade, como ônibus, taxis e vans. Optamos pela van, visto que era o valor mais em conta: $6.000 pesos (aproximadamente R$40 por pessoa).

__________________

E aí, curtiram o post inicial? Para ver o roteiro de todos os dias em Santiago do Chile, clique nos links abaixo:

1° dia – Passeio pelo centro histórico, Cerro Santa Lucia, Praça da Constituição, Catedral de Santiago e Praça das Armas, Bairro Republica, Bairro Costanera e Shopping Parque Arauco

2° dia – Valle Nevado

3° dia – Viña del Mar e Valparaíso

4º dia – Valle Nevado e Estação Farellones