Tag Archives: londres

Dicas de Londres 4 – Harrods, Tower of London e Notting Hill

Continuando nossa série de posts sobre uma sugestão de roteiro para conhecer o principais pontos de Londres em 4 dias, vamos ao último, mas não menos importante, dia na cidade.

Como comentei no primeiro post da série (8 dicas para montar seu próprio roteiro para Londres), eu agrupei os pontos que queria ver por região e proximidade do metrô, assim o deslocamento fica mais fácil e perde-se menos tempo andando pra lá e pra cá. Mas, de novo, aconteceu de eu ter que jogar um passeio que era para ter acontecido no dia anterior, para esse dia. E como eu falei nesse post aqui, não tem jeito, em qualquer viagem as coisas sempre saem um pouco do planejamento. Tem que ter jogo de cintura e reprogramar! 😉

Londres dia4 - Harrods

Na verdade, o nosso 4º e último dia em Londres foi só metade. À tarde, já pegamos um trem rumo à Cardiff, no País de Gales. Começamos o dia pela Tower of London, que fica à margem do Tâmisa e ao lado da Tower Bridge. Dali dá para ter uma bela vista da ponte!

Foi esse o passeio que tivemos que encaixar nesse último dia. A ideia era ter ido no dia anterior, já que ficava no caminho de volta do nosso hotel, mas como chegamos na bilheteria cerca de uma hora antes de os portões fecharem, não nos deixaram comprar os ingressos (o passeio dura cerca de 3 horas). Kuén-kuén-kuén… Para evitar esse tipo de “remanejamento indesejado”, acesse esse link aqui e veja os horários de funcionamento da Torre 😉

Tower of London 1 e Harrods

Tower of London 2 e Harrods

Bom, chegamos lá num sábado de manhã e estava bem tranquilo, mas quando saímos, a fila para entrar estava GIGANTESCA. Ou seja, se for aos finais de semana, vá cedo! 

E ah, pegue um mapa lá dentro, porque é realmente bem grande. Além da Torre principal, tem várias construções menores que abrigam museus, prisões antigas e coleções reais. Tem hora que a gente não sabe se já foi ou não em determinado setor!

Saindo de lá, pegamos o metrô e fomos em direção à Harrods – confissão consumista: queria muito conhecer essa loja!  Não via a hora! hehehe. Descemos na estação Knightsbridge e demos praticamente de cara nela. Mulheres, escondam seus cartões de crédito! São vários andares enooooormes repletos de coisas maravilhosas. De maquiagem à decoração. Casacos de luxo à acessórios esportivos. Muita, muita, muita opção mesmo! Dá pra pirar lá dentro e passar horas olhando (só olhando, na maioria dos casos, porque os preços são salgados, viu?).

Harrods 1

Harrods 2

Depois da Harrods, fomos para Notting Hill (alô Julia Roberts!!). A principal rua do bairro é a Portobelo Road, uma espécie de 25 de Março, mas em uma versão muito mais organizada. São centenas de lojinhas e barraquinhas, a maioria antiquários. Mas nada muito muvucado, sabe? Cheio de gente, mas sem aglomeração, caos.

Atenção aos dias em que tem feirinha – me corrijam se eu estiver errada, mas acho que só funciona aos finais de semana. Como era Sábado, deu para pegar a feirinha bombando! Mas se a intenção não for passear nela, vale passar lá em qualquer dia da semana, pois o bairro é muito bonito e agradável.

Notting Hill 1

Notting Hill 2Sugestão de como chegar:

– A Tower of London fica bem atrás da estação Tower Hill (de novo, o nome da estação mais próxima é bem intuitivo). Não tem como errar. Você dá praticamente de cara na bilheteria!

– A Harrods fica perto da estação Knightsbridge. Basta andar uns dois quarteirões e PÁ, chegou!

– Por ser uma rua imensa, a Portobelo Road tem duas estações de metrô próximas, uma em cada extremidade, a Ladbroke Grove e Notting Hill Gate. Nós descemos na segunda e saímos no comecinho da Portobelo. Achei uma boa opção, bem prática.

Londres Mapa4Deu para perceber que esse mapa ficou bem mais “de longe” do que os outros, tudo porque tivemos que encaixar a Tower of London, que fica em uma região nada a ver com as outras duas atrações do dia. Tivemos que andar muito mais de metrô e perder mais tempo. Mas isso aconteceu por que? Porque eu não me atentei ao horário de visitação. hehehe Lição aprendida!

E assim terminou nosso último dia em Londres! Apesar das mudanças de plano, foi uma viagem sensacional! Quem tiver qualquer possibilidade de passar um dia na cidade, vá. Sem pensar. Desça em Westminster e lá você se acha. Se não se achar, pelo menos vai ficar com uma das imagens mais lindas a cidade na memória: o rio Tâmisa com a London Eye de fundo 🙂

Bjos!

 

UPDATE – Veja mais sobre os primeiros dias em Londres clicando nos links abaixo:

Dia 1 (Hyde Park, troca da guarda, London Eye e passeio de barco pelo Tâmisa).

Dia 2 (Museu de Cera Madame Tussauds, Oxford Street e musical).

*Fotos: arquivo pessoal

Dicas de Londres 3 – Abadia de Westminster e St. Paul’s Cathedral

Dando sequência ao nosso roteiro de 4 dias em Londres, o 3º dia ficou todinho somente para a Abadia de Westminster e a St. Paul’s Cathedral.

Se você está meio perdido e quer ver 8 passos para montar seu próprio roteiro para Londres, clique nesse link. Para ver dicas sobre o dia 1 (Hyde Park, troca da guarda, London Eye e passeio de barco pelo Tâmisa), clique aqui. E para saber mais sobre o dia 2 (Museu de Cera Madame Tussauds, Oxford Street e musical), clique aqui!

Logo de manhã, a fila para comprar os ingressos para entrar na Abadia de Westminster estava gigante, enorme, infindável. Mas como a possibilidade de não entrar estava descartada para mim, enfrentamos cerca de 1 hora de fila mesmo assim (ui, rimou!). O ingresso custou cerca de 22 libras por pessoa – um tanto quanto caro, mas totalmente justificável. Todas as atrações e pontos importantes lá dentro são numerados e você pode ouvir a história e explicação de cada um por meio de um áudio-guia que eles entregam logo na entrada, basta pedir (tem disponível em várias línguas, mas o Português é só o de Portugal mesmo… Mas dá para entender perfeitamente!).

Abadia de Westminster 1

Abadia de Westminster 2

 

Abadia de Westminster 3

Prepare-se para gastar metade do seu dia na Abadia. Aquela imponência toda que vemos de fora se reflete em um interior GIGANTESCO. Tem realmente muita coisa para ver! Minha dica é olhar tudo com calma, ouvir as explicações do áudio-guia, entender o que cada uma daqueles túmulos, estátuas e peças significam. É impressionante o que aquele lugar guarda de História, meu Deus! De longe, foi uma das coisas que eu mais gostei de fazer em Londres!

De lá, seguimos de metrô para a St. Paul’s Cathedral. Ela fica embrenhada em meio a prédios comerciais e avenidas super movimentadas, que contrasta com o ar antigo e imponente da catedral. O ingresso na bilheteria custa cerca de 16 libras, mas vi pelo site que dá para comprar online também. Apesar de ser bem menor do que a Abadia (o que não quer dizer muita coisa, porque dificilmente alguma coisa vai ser maio que ela!), não se iluda porque leva algumas horas para conhecer tudo com calma.

St. Paul's Cathedral

PS: não tenho muitas fotos da Catedral. Como eu disse, ela fica no meio de muitos prédio comercias e avenidas movimentadas, então não dá ângulo suficiente porque ela é muito grande! E no interior, obviamente, fotos não são permitidas.

Não deixe de descer até a cripta. Lá tem túmulos e homenagens aos ingleses mortos de diversas guerras. É bem “O Código Da Vinci” feelings, sabe? Imperdível! Olhe cada túmulo com calma e leia todas as inscrições (meio mórbido falar isso! Hahaha mas esse é o intuito no passeio!). Tem muuuuita História também!

Após conhecer toda a parte de baixo, suba até o Domo. São muitos degraus. Centenas. Vários mesmo. E cansa. Muito! Mas para quem tem algum tipo de dificuldade física, tem elevador (claro, acessibilidade sempre bombando na Inglaterra). Ao redor do domo, na parte interna mesmo, tem lugar para sentar e ouvir a parede sussurrar. É bem estranho, mas divertido! Vale demais a visita! Não deixe de ir peloamor!

Dica: tem um restaurante dentro da Catedral, na cripta. É uma boa opção para almoçar ou tomar um cafézinho!

Depois dessa overdose de Igrejas, o dia acabou e voltamos para o hotel, exaustas. Fica bem cansativo e sobrecarregado fazer esses dois passeios no mesmo dia. Evite se puder. A gente passa muito tempo em pé e andando pra lá e pra cá, fora o sobe e desce das escadarias da St. Paul’s. Acho que o melhor roteiro é realmente fazer a London Eye + passeio de barco no Tâmisa + Abadia de Westminster no mesmo dia. Fica muito mais equilibrado – e mais perto! 😉

Londres Mapa3

Sugestão de como chegar:

– A Abadia de Westminster, como mostrei nesse post aqui, fica pertinho do Big Ben e Parlamento, praticamente no mesmo quarteirão. Sendo assim, se for aproveitar para conhecer todos eles no mesmo dia, vale desce na estação Westminster (dã!). É só atravessar a rua e pronto, chegou.

– A St. Paul’s Cathedral fica bem próxima à estação St. Pau’l. Pra vocês verem como é fácil andar intuitivamente pela cidade, né? Não precisa ser muito gênio para adivinhar qual a estação mais perto de cada atração… É quase sempre o mesmo nome! hehehe Apesar de não ser muito longe, é um rolezinho ir da abadia até a Catedral, já que a primeira fica na linha verde e, a segunda, na vermelha, então precisa fazer baldeação.

Bjos!!

 

*Fotos: arquivo pessoal

Metrô de Londres: minha experiência :)

Quando viajamos para lugares diferentes, acho que o  mais bacana é conhecer os hábitos e rotina dos moradores daquele lugar, como fazem para comer, trabalhar, morar, passear, se relacionar ou se locomover. Claro que os pontos mega turísticos fazem super parte e é indispensável constarem no roteiro de qualquer um, mas não tem nada como entrar em contato com o dia-a-dia das pessoas, vivenciar o que elas vivem. Aí sim você pode dizer que realmente conheceu o lugar!!

Como eu acho isso muito importante, não tive dúvidas no quesito “locomoção” na hora de planejar minha viagem para o Reino Unido nas minhas férias desse ano! A não ser por um pequeno trajeto da viagem toda (depois explico qual e porquê!), nem me passou pela cabeça alugar um carro. Vamos se virar no transporte público! #soudopovo

Ônibus Vermelho Londres

A primeira cidade de destino seria Londres (por falar nisso… já viu o post sobre como montar seu próprio roteiro para a cidade? Não? Então, clica aqui e resolve isso logo!), e até aí é muito fácil pensar em deslocamento estando em uma cidade que tem como um de seus cartões postais um ônibus e possui a maior cobertura de linhas de metrô do mundo (que esse ano estava completando 150 anos, by the way). Não tinha muito o que pensar a respeito disso, né?

Devo dizer que não é a coisa mais fácil do mundo se localizar no metrô de Londres, todo maluco e cheio de linhas pra lá e pra cá, mas nada como se perder algumas vezes para se achar! Para falar a verdade, acho que nem quem mora lá sabe de cabeça todas as linhas e estações; são muitas!! Pra ter uma ideia, nosso hotel ficava a três ou quatro quadras da estação Whitchapel, na District Line (linha verde), e só essa linha tinha 5 sentidos diferentes e, pelo que pude contar em uma longa viagem, cerca de 56 estações. Tá bom ou quer mais? srrsrs

Mapa do Metrô de LondresEssa é uma foto que eu tirei do mapa do metrô… Um tanto quanto confuso, eu diria! hahaha Mas dá para perceber que ele tem uma cobertura enorme e você chega em QUALQUER LUGAR. Todos os pontos turísticos tem uma estação logo na frente! Fora que os nomes delas já são bem intuitivos…. Por exemplo, a estação Westminster fica em frente à Abadia de Westminster… A estaçãoTower Hill fica em frente à Tower of London… A Notting Hill Gate fica no famosos bairro de – adivinha? – Notting Hill. A estação Hyde Park Corner fica – já adivinhou? – em uma das entradas do Hyde Park…. E por aí vai! Facinho!!

Muitas das estações de metrô também são interligadas com os trens nacionais, ou seja, de Londres você consegue pegar um trem para qualquer cidade (e estou considerando também País de Gales e Escócia, viu?) com a maior praticidade…. Mas isso eu continuo em um outro post porque esse aqui já ficou longo demais! 😉

Muito amor pelo metrô de Londres <3 <3 <3