Tag Archives: passeio de escuna

O que fazer em Paraty

Paraty é uma cidade que eu tenho uma forte ligação emocional, sabe como? Meu pai, durante alguns anos, teve uma loja de mergulho na cidade e, por conta dos negócios, e eu minha família estávamos sempre lá. Outras vezes, ia apenas eu e meu pai junto com o grupo que iria mergulhar naquele fim de semana, e era sempre super divertido!

Sempre tive muitas lembranças de Paraty… o centro velho alagado por causa da chuva, os canhões antigos que ficam na pracinha, uma casquinha de siri incrível que a gente comia em um restaurante antes da pizza e até um sapo que atravessou nosso carro por dentro assim que chegamos na cidade um belo dia! Hahaha

o-que-fazer-em-paraty

Fazia ANOS que eu não ia pra lá. Até que, no ano passado, resolvi passar 3 dias na cidade, de uma hora pra outra. Nem sabia direito o que fazer em Paraty e, muito menos como estavam as coisas por lá desde aquela época. E sabe que eu descobri uma nova Paraty, que acho que nem eu conhecia? Vamos ver?

O QUE FAZER EM PARATY

– Passeio de Escuna

Se você tem poucos dias e não sabe direito o que fazer em Paraty para conhecer um pouco de cada coisa, você não pode deixar de fazer o passeio de escuna. Para ser bem sincera, eu não sou fã de passeios de escuna, não (até contei sobre uma experiência não tão boa em Búzios aqui)… Não sei, acho sempre muito cheio, barulhento. Mal você levanta e alguém já pega o seu lugar. HAHAHA.

O que fazer em Paraty - Barquinhos

O que fazer em Paraty - Parada da Escuna

Mas esse caso foi completamente diferente. Amei e faria de novo! Escolhemos a escuna Banzay, uma das maiores e mais bem recomendadas pelo pessoal da pousada. Dá para comprar os ingressos nas lojas que ficam ali no cais. A maioria delas vende, basta comprar com um ou dois dias de antecedência, dependendo da ápoca do ano.

O passeio custa cerca de R$65 por pessoa, dura das 11h às 17h e sai do píer principal da cidade. Dá para tomar café da manhã tranquilo, curtir todo o dia e ainda aproveitar a noite. Delícia!

O que mais gostei dessa escuna foi o fato dela ser ampla e bem confortável. Pegamos uma mesa com cadeiras na parte de cima e aproveitamos toda a viagem sem nenhum incomodo. Logo depois de o barco sair, eles passam deixando um cardápio na mesa com as opções de almoço. Você precisa pedir o quanto antes para dar tempo deles prepararem tudo até a hora de comer. Não é nada sensacional, mas o prato é bem gostoso e segura pelo resto do dia!

O que fazer em Paraty - escuna

O que fazer em Paraty - Escuna Topo

O barco faz várias paradas e passa por lugares lindos, lindos! Tem pontos em que é possível pular na água, outros são apenas para olhar. E olha, como Paraty é maravilhosa! Recomendo muito esse passeio!

Dica de ouro: se possível, tente fazer o passeio em um dia em que a cidade estiver menos cheia, pois a chance de a escuna estar tranquila é maior!

– Cachoeiras com jipe

Esse é um lado de Paraty que eu não conhecia. Como tem cachoeiras lindas! Compramos o passeio de jipe na mesma loja onde compramos o de escuna e custou cerca de R$60 por pessoa. O passeio dura o dia todo também e é uma forma super diferente de conhecer a região.

O jipeiro foi nos buscar na pousada e depois passou para pegar outro casal. Na volta, deixou cada um na sua respectiva pousada também, super cômodo. Demos sorte de terem sido pessoas super agradáveis e educadas, então o passeio foi mais legal ainda!

O que fazer em Paraty - Cachoeira

O que fazer em Paraty - Cachoeira 2

O jipe vai se embrenhando nas trilhas e parando em alguns pontos estratégicos além das cachoeiras, como fazendas produtoras de cachaça. Dá para ver direitinho o processo de fabricação, os tonéis e máquinas utilizadas.

Dica de ouro: a fazenda de cachaça é interessante, mas nada muito emocionante. Nosso passeio incluía duas paradas desse tipo, mas conversamos com o jipeiro para trocar a segunda parada por uma outra cachoeira ali perto. Acho que valeu mais à pena assim 🙂

Em uma das cachoeiras, há uma corda pendurada em uma árvore onde você pode subir, dar uma de Tarzan e se jogar na água embaixo. Tem um guia que auxilia nesse processo. É super seguro e MUITO divertido! Recomendo pular!!

Em outra, há um toboágua natural, que nada mais é do que uma pedra gigante onde você desce escorregando e cai na água #esquibunda . Também tem pessoas auxiliando a descida correta para ninguém se esborrachar de cara na árvore lá embaixo. Eu desci várias vezes e achei incrível! Até pedia pra galera me ajudar com um empurrãozinho extra para dar aquele up na velocidade! Sensacional!

Há uma outra cachoeira onde é possível pular na água do alto de uma pedra. Mas é alto MESMO. Eu, que sou meio doida pra essas coisas e adoro pular de tudo quanto é lugar, achei um tanto quanto perigoso. Preferi não arriscar, sei lá. O jipeiro disse que era seguro, mas não me passou tanta confiança assim, sabe? Melhor deixar pra lá…

Nessa mesma cachoeira da pedra, tem uma ponte de madeira bem capenga que passa sobre o rio e leva a gente para o outro lado, onde tem um barzinho e por onde sobe na tal pedra. É o único jeito de chegar no outro lado, mas quem não quiser ir, não precisa. Eu atravessei sem problema nenhum, mas não é nada imperdível ou obrigatório.

O que fazer em Paraty - Ponte

E ah, mesmo que você vá no verão, não se anime em relação à temperatura da água. Como toda e qualquer cachoeira, é sempre beeem gelada. Eu mesma não conseguia ficar muito tempo dentro d’água…  ehhehe

Dica de ouro: o jipe para em um restaurante para almoçar no meio do dia. Entretanto, é o único lugar que dá para comer da região e fica LOTADO. Converse com seu jipeiro antes para você tentar parar lá mais cedo e já fazer o pedido. Caso contrário, você acaba perdendo muito tempo esperando pelo seu prato…

Resumindo: aproveite todas as cachoeiras. Se jogue, nade, pule, escorregue. Todas são bem seguras e as pessoas fazem isso lá todos os dias. Não tem perigo! É só na ser imprudente, né? Não vá onde o guia falar para não ir. Não se arrisque se não tem certeza de que vai conseguir. E, principalmente, não ultrapasse seus limites, ok? 😉

– Centro Histórico

Se você tem dúvida sobre o que fazer em Paraty de noite, seus problemas acabaram! Hahaha A noite na cidade é super agitada! É no famoso centro histórico que ficam todos os restaurantes, bares e lojinha interessantes. Todo o Planeta Terra vai para lá.

Os restaurantes mais badalados são os que ficam enfrente à praça central. Mesinhas na calçada, música ao vivo, cardápio dos mais variados. Escolha qualquer um que mais te apeteça e entre. Dá para passar horas ali sem nem perceber. Tem opções para todos os gostos: carnes, massas, comida argentina, frutos do mar.

O que fazer em Paraty - Noite

O que fazer em Paraty - Ruas de Pedra

Dica de ouro: se você passar por um dos prédios do centro histórico e estiver tendo alguma exposição, entre para ver. No dia que fui, estava tendo uma mostra de fotos retratando a pobreza nas favelas no Brasil. Lindo o trabalho e uma ótima maneira de tornar a noite ainda mais especial!

Tem muito o que fazer em Paraty e a cidade toda tem uma carga muito cultural. Acho que própria conservação das antigas construções ajudam a criar esse clima. Exposições, gente cantando e fazendo arte no meio da rua é super comum por lá. Pare para assistir algum deles, é bem legal!

Dica de ouro: mulherada, não use salto alto nem sapatos muito lisos para andar pelas ruas de Paraty. O chão é todo feito de pedrinhas, e até de rasteirinha é meio difícil de andar. O ideal mesmo seria tênis ou uma sapatilha macia, vai por mim 😉

– Trindade

Decidimos aproveitar o caminho de volta no último dia para dar uma esticadinha até Trindade. Que sonho de lugar! Mas como já escrevi uma Bíblia até aqui e ainda tem muito o que contar, resolvi deixar pra outro post 😉

Bjos!!

*Fotos: arquivo pessoal e reprodução

Arraial do Cabo: Dia 3 – Passeio em Búzios

No terceiro dia em Arraial do Cabo, decidi dar uma esticadinha em Búzios, que fica a cerca de 1 hora de carro. Eu já conhecia o centrinho da cidade por ter parado lá de navio duas vezes, mas queria ter mais tempo e ir para outras praias. A ideia era fazer um passeio de escuna para ter uma visão geral e, depois, escolher alguma praia para ficar o resto do dia. Cheguei lá por volta das 10h da manhã e fui para a região da Rua das Pedras, a mais badaladinha e perto do píer. Andando pela rua da praia, logo já encontrei uma loja chamada Buziana que vendia pacotes de escuna. A próxima saída seria em meia hora e o passeio tinha duração de 2h30, o que se encaixava perfeitamente nos planos!

Já no píer, informaram que deveria ir para a pracinha ali perto para dar o nome na lista. Tipo assim, as lojinhas vendem os lugares nas escunas de maneira terceirizada e meio que descontrolada. Se você não colocar o nome nessa lista, corre o risco de não poder embarcar porque está lotado, pois eles dão preferência para quem tem o nome na tal lista. Um tanto quanto estranho, mas deu tudo certo.

Passeio de escuna Buzios

Por ser feriado, a escuna nem estava tããão abarrotada, mas tinha bastante gente. Dei o azar de sentar bem na proa do barco que, justamente por proporcionar uma vista linda do passeio, é onde todo o mundo quer ir. Também tinha um fotógrafo que ficava tirando fotos de todo o mundo o tempo todo para vender depois. E, adivinha qual era o lugar que ele escolhia como background? A proa! Deu para imaginar a movimentação que ficou por ali, né? Além disso, a âncora ficava bem do nosso lado, ou seja, a cada parada tinha que levantar para os marinheiros soltarem e recolherem a âncora. Confesso que não foi uma escolha muito inteligente, deu uma certa “irritância“. hahahaha. Se puder, evite a proa do barco. Sempre!

O roteiro incluía 3 paradas onde podíamos entrar na água, mas sem nadar até a praia. As paisagens são lindas, a cor da água é maravilhosa e as praias são bem “natureza” mesmo. Muito bonito! Foi bacana fazer esse passeio porque proporcionou um panorama legal de  Búzios e tals, mas não é algo que eu faria de novo. Achei muito cheio, muito barulho, música muito alta, muita aglomeração. Além de não poder descer nas praias, que é a parte mais legal desse tipo de rolê. Mas enfim, pode ser uma boa opção dependendo do seu objetivo!

O passeio teminou às 13h30. Olhei o mapa para ver por onde tínhamos passado e definir para qual praia iria na sequencia. Eu havia lido boa referências da praia Azeda, mas acabamos passando por ela no passeio, então descartei essa opção. Do lado oposto ao que estávamos no mapa, achamos a praia da Ferradura, que eu também havia lido excelentes recomendações. Pronto, destino definido! E 10 minutos de carro, cheguei!

Praia da Ferradura - Buzios

Que praia linda! Que paisagem! Que água! Maravilhosooooo! E o melhor: tinha aluguel de prancha de Stand-up Paddle. Uhuuu!! Mas antes de fazer qualquer coisa, estendi a canga na areia e fiquei admirando aquele lugar enquanto comia um lanchinho básico (as always!). Juro, dá pra ficar lá o dia inteiro só olhando… MAS, como já estava de tarde e o Sol logo logo iria embora, tratei de alugar a prancha e sair remando!

A praia tem a forma de ferradura mesmo (por isso o nome, dã!), uma coisa meio em U. Ela é toda fechada e, lá na frente, tem uma abertura para o mar. Esse formato faz com que o mar se pareça uma piscina, lisinho e sem ondas. Perfeito para fazer SUP! Remei até a saída para o mar aberto, onde tem uma ilhota de pedras que só dá pra ver dali. Sentei na prancha no meio do mar e fiquei ali olhando, ora para a praia atrás da gente, ora para o marzão à frente. Gente, vale MUITO a pena fazer isso. É um silêncio, uma paz!

Com certeza, passar a tarde na praia da Ferradura fazendo Stand-up salvou o dia. Foi uma experiência incrível que quero repetir. Mas acho que, mesmo quando a gente se mete em uns passeios meio micados, alguma coisa sempre acaba sendo válida. Sempre tem algo bacana, algo que a gente aprende. Ou, no mínimo, pode gerar boas risadas depois! Tem que ir de mente aberta e desencanado! Assim, tudo fica legal!

No final da tarde, voltei para Arraial e fui jantar em Cabo Frio novamente 🙂 E assim acabou esse dia maravilhoso!!

 

Gastos do dia 3:

Passeio de escuna: R$60

Aluguel das pranchas de Stand-up: R$100

Jantar: R$96

Total Dia 3: R$256

 

*Fotos: arquivo pessoal

UPDATE: Veja os outros posts sobre Arraial do Cabo!

Geral sobre a cidade

Dia 1 – Praia do Forno

Dia 2 – Passeio de barco e Pontal do Atalaia

Dia 4 – As Prainhas