Tag Archives: por que alemanha?

Alemanha e o macarrão de sorvete!

Quando a gente pensa em sorvete, acho que um dos últimos lugares que vem a nossa cabeça é a Alemanha! Certo? Certo. Afinal, um país que vive em temperaturas baixas durante a maior parte do ano, com direito a neve e muito, muito frio, a última coisa que as pessoas vão querer comer é sorvete. Certo? Errado!

Como você vai ver nesse post aqui, a Chris, amiga querida que mora na Alemanha há anos e escreve a nossa coluna semanal “Por que Alemanha?” nos mostra que, nos poucos dias de calor alemão, o que bomba mesmo nas ruas é o sorvete, minha gente! E ela até passa pra gente uma receita de um macarrão de sorvete, sobremesa típica com curioso nome de Spaguetti Eis. Bora fazer? Assim a gente pode provar a Alemanha sem sair de casa!

Por que Alemanha - macarrão de sorvete

Alemanha e a paixão por sorvetes            

(Clique nesse link e assista esse vídeo que a Chris recomendou!)

Este verão europeu, considerado o mais quente desde que existem as estatísticas, é a inspiração perfeita para falarmos sobre a paixão que os alemães têm por sorvetes. Vamos então nos refrescar…

Um estudo canadense recente relata que o mercado de sorvetes alemão está crescendo a um patrimônio líquido de 2,7 bilhões de dólares, o que é mais do que a indústria de gelados em qualquer outro país europeu.

Macarrão de Sorvete

Na Alemanha, quando falamos em sorvetes, logo nos remetemos às deliciosas casas de café, encontradas em qualquer cidade do país.

Macarrão de sorvete - caféÀs vezes ainda no finalzinho do inverno, logo que o sol começa a dar suas caras, após os longos cinzentos dias frios, já é possível ver algumas mesinhas e cadeiras nas calçadas, e os alemães já estarão se preparando para os meses mais quentes que estão por vir, curtindo seus capuccinos e cafés com bolo.

Mas quando o clima começa mesmo a esquentar, o que surge nas mesas é o saborosissimo Eiskaffee e o inusitado Spaghetti Eis.

Spaguetti Eis

Alguma vez você já sonhou em combinação macarrão e sorvete? Pode soar estranho e talvez este prato pudesse estar presente naquela mesa de chá do chapeleiro maluco em Alice no País das Maravilhas, porém esta delicia é facilmente encontrada em quase todas as sorveterias da Alemanha.

Macarrão de Sorvete - Spaguetti Eis

A ideia veio de Mannheim em 1969, com Dario Fontanella, proprietário de uma fábrica de sorvetes, cuja família emigrou para Alemanha a partir dos arredores de Veneza em 1932. Dario tinha a intenção de recriar um prato nacional italiano, e surpreender seu pai, oferecendo sorvete em uma nova forma. Depois de muitas experiências, com diversos ingredientes, ele encontrou a combinação perfeita: sorvete de baunilha com morangos amassados e chocolate branco.

Em 2014, Fontanella foi premiado com o “Bloomaulorden,” o maior prêmio do cidadão em Mannheim, cidade conhecida como “a cidade dos inventores”. Hoje Fontanella possui seu negócio familiar, o Fontanella Eismanufaktur Mannheim. Os Fontanellas estão no negócio de sorvete por mais de 100 anos, a maioria dos quais eles passaram em Mannheim.

Mas vamos agora para a receita do Spaghetti Eis, para 2 porções:

100 ml creme de leite fresco

2 colheres de chá de açúcar

400 ml de sorvete de baunilha

300 g morangos ( congelados )

2 colheres de chá de açúcar

1 pacotinho de açúcar baunilha

100 gs de chocolate branco

Modo de fazer: Polvilhar os morangos com o açúcar, deixar descongelar. Depois fazer um purê com a fruta, levar ao fogo baixo para fervura, por aproximadamente 20 minutos e deixar esfriar. Bater o creme de leite junto com 2 colheres de chá de açúcar em ponto de chantilly bem firme, raspar o chocolate branco.

Macarrão de Sorvete - Spaguetti Eis 2

 

Colocar o chantilly em tigelas ou pratos de sobremesa. Passar o sorvete de baunilha no espremedor de batatas ( que deverá está bem resfriado ). E cobrir tudo com o molho de morangos. Polvilhar com o parmesão – ops desculpe – com as raspas de chocolate branco.

Eiskaffee

Nada melhor no verão após um exaustivo dia de trabalho ou de compras sentar-se num café de rua, observar o movimento ao redor e desfrutar do fresco e revigorante Eiskaffee.

Macarrão de Sorvete - Eiskaffee

Hoje, na Alemanha existe disponível no mercado o pó pronto, que deve somente ser misturado ao leite frio.

Mas o Eiskaffee original deve ser preparado conforme sua receita tradicional. Na Alemanha e na Áustria é simplesmente utilizado o café passado pelo filtro e depois resfriado na geladeira. Em seguida, coloca-se o líquido frio preferencialmente em um bonito de vidro fino e alto e finaliza-se a bebida conforme o gosto pessoal de cada um, com açúcar, leite e/ou bolas de sorvete de creme. Esta refrescante bebida é coroada com chantilly !

Diz-se que o Eiskaffee veio da Grécia sendo chamado popularmente de café frape, que é preparado batendo-se café solúvel, açúcar e um pouco de água até tudo ficar muito espumoso e completa-se então a bebida com leite e talvez ainda água fria. Às vezes, o café frape também é refinado com uma bola de sorvete.

A partir das regiões do sul da Itália e da Grécia, o café frio se espalhou ao redor do mundo, onde recebeu seu toque pessoal em cada região e em cada país.

Na Floresta Negra o cliente apreciador do Eiskaffee encontra ali uma criação diferente, pois naquela região é costume misturar o café gelado adoçado com uma pequena dose de Kirschwasser (aguardente feito à base de cerejas). A bebida é refinada com sorvete de baunilha, chocolate granulado e uma casquinha de sorvete, hum uma delícia!

Macarrão de Sorvete - Chris e Bia

Eu poderia escrever aqui uma lista infindável de variações do Eiskaffee, criadas no mundo todo, porém estranhamente nunca achei esta bebida no Brasil, terra do café mais gostoso do mundo!

Certo é mesmo que Eiskaffee e Spaghetti Eis são para mim a melhor forma de dar boas-vindas às temperaturas quentes do verão !

 >> Por que Alemanha?

– porque aqui, na maioria das sorveterias do país encontraremos algum brasileiro, provavelmente vindo de Sta Catarina e de origem italiana, pronto para nos servir um refrescante sorvete. Muito legal poder trocar algumas palavras em português e um “volte logo” ao sairmos!”

________________________

E aí? Gostaram da ideia do macarrão de sorvete? Parece apetitosíssimo! Quem fizer a receita em casa, volta aqui pra comentar o que achou, tá? 😉

O que fazer em Hamburg, Alemanha!

Se você está planejando uma viagem para a Alemanha e está considerando passar por Hamburg, preste muita atenção nesse post. A Chris, amiga querida que mora na Alemanha e escreve a nossa coluna semanal “Por que Alemanha?”, fala hoje sobre a cidade e mostra o que fazer em Hamburg – sempre sob uma ótica muito especial, diferente de qualquer informação que você vá achar por essa internet de meu Deus. Im-per-dí-vel!

No post anterior (clica aqui pra ler!), ela falou sobre o famoso Porto de Hamburg, e agora  continua com a parte turística da cidade – pra você ver como o assunto rende! Sem mais lenga-lenga, vamos ver o que fazer em Hamburg e querer arrumar as malas pra lá já!!

“Alemanha – Hamburg turístico            

Possui 1.753.380 habitantes.

Distância de Stuttgart: 605 km

Água, água e mais água, este é o seu elemento determinante. Hamburg sem o Rio Elba, sem o lago Alster – inconcebível.

Em um post anterior introduzi o porto de Hamburg. Embora o porto fique localizado no centro da cidade, e é simplesmente interessantíssimo, Hamburg ainda tem muito a oferecer.

Speicherstadt

Com seus galpões de tijolos vermelhos, renovados, junto a modernas e ambiciosas estruturas de vidro e aço, são cortados por canais e pontes, este bairro histórico é repleto de museus, cafés e lofts de luxo. Estas construções eram usadas para armazenar mercadorias de alto valor, como café, chá, cacau, temperos e tabaco.

O que fazer em Hamburg - Speicherstadt

Atualmente, grande parte do distrito de depósitos comercializa tapetes orientais. Caminhe pela região ao anoitecer, os prédios e pontes recebem uma iluminação suave, refletida nos canais.

Um charme, que recentemente foi considerado patrimônio histórico pela UNESCO.

Hafencity

Partindo de Speicherstadt, você pode explorar Hafencity, segunda etapa do maior projeto de construção em desenvolvimento na Europa, que inclui o famoso prédio da Filarmônica do Elba, ainda em construção. Hafencity não pára de crescer e mostra o melhor da moderna Hamburg.

O que fazer em Hamburg - Hafencity

Miniatur Wunderland (país das maravilhas das miniaturas)

Uma das atrações turísticas mais visitadas na Alemanha, com cerca de um milhão de visitantes por ano.

O que fazer em Hamburg - Wunderland

Trens, aviões e automóveis viajam por diversos cenários em miniatura, cuidadosamente  manufaturadas, reproduzindo aspectos como os gelados fiordes noruegueses e as ruas iluminadas por neon em Las Vegas. São mais de 6.400 m2 de área com quase 9.000 carros de miniatura e 215.000 “Wunderlanders”, como são chamados seus pequenos habitantes.

Mercado de peixes

Um ótimo lugar para se visitar em uma manhã de domingo em Hamburg. Desde 1703 oferece frutas exóticas, flores, chás e utensílios domésticos junto com peixes frescos, neste mercado a céu aberto.

O que fazer em Hamburg - Mercado de Peixes

Mas não deixe de conferir o salão de leilão, bem ao lado do mercado. Atualmente nenhum peixe é leiloado, mas você encontrará cerveja à vontade e música ao vivo, bem como clientes bebendo e dançando mesmo nas primeiras horas da manhã de domingo. A entrada é gratuita, mas venha com dinheiro pois a maioria das barracas não aceita cartões.

Região central de Hamburg

 Aqui o coração da cidade comercial bate mais forte. No centro da cidade encontramos edifícios comerciais modernos, pois muitas das construções medievais foram destruídas no grande incêndio de 1842 ou reduzidas a entulho durante a II Guerra Mundial.

O que fazer em Hamburg - região central

 

 

O “Jungfernstieg” de frente ao lindo lago “Alster”, elegante local de partida para a região central, há séculos tornou-se o ponto de encontro mais conhecido da cidade. Naquela região concentram-se lojas e bancos. Planeje chegar ao Jungfernstieg bem cedo, e sinta o flair da Hamburg, admirando o Alster e tomando um café no terraço do Alex Alsterpavillons. Depois deste delicioso inicio de dia, caminhar pelas largas ruas e lindas vitrines de suas elegantes lojas…. sim, você poderá agora falar que está em Hamburg.

Prédio da prefeitura

Sem duvida é o prédio mais majestoso da cidade. Cuidadosamente reconstruído e restaurado às condições originais do século 19. Com suas 673 salas (mais do que o Palácio de Buckingham, em Londres), e pouco destruído na segunda guerra, é considerado uma das construções mais importantes da história da Alemanha.

O que fazer em Hamburg - Prefeitura

Do saguão de entrada partem visitações guiadas, com 30 minutos de duração, você descobrirá tudo sobre o sistema de governo de Hamburg e naturalmente muito mais sobre a história da cidade.

O que fazer em Hamburg - Chafariz

 

No pátio, visite o chafariz, que representa a deusa grega Higia. O magnífico chafariz foi construído para lembrar a epidemia de cólera no final do século XIX. E bem na sua entrada encontramos, em latim, a inscrição: “Os descendentes se esforçarão para manter a liberdade alcançada por seus antepassados”.

Daniel Wisher e o famoso Fish n’Chips

É ali, na região central, que você encontrará o famoso restaurante Daniel Wisher. Logo na sua entrada você pode se deliciar com os cones de papel, contendo o delicioso Fish n’Chips, porém seu cardápio também oferece pratos de peixes, sempre com um preço justo. Você tem que experimentar…

O que fazer em Hamburg - Fish and Chips

Mas Hamburg ainda tem tanto a oferecer… nem falei sobre o Alster, o lago lindo com seu refrescante e bucólico parque, bem no centro da cidade, sobre a igreja de St. Michaelis, com sua torre e símbolo da Hamburg, do bairro de St. Pauli, com sua vida noturna e local de início da carreira dos Beatles, o museu da história de Hamburg, e tanto mais. A melhor forma de se surpreender com ela é andando a pé por todos estes pontos turísticos, cada quadra caminhada oferece uma visão nova e apaixonante.

O que fazer em Hamburg

Esta cidade já passou por tantas catástrofes, incêndios, guerras, sempre se reergueu e agora é a segunda maior cidade da Alemanha, ficando logo atrás de Berlin. Admirável!!! Venha conhecê-la também.

>> Por que Alemanha?

– Porque Hamburg ama esportes e se a população disser sim ao referendo em 09/2015, ela será candidata a sede nas olimpíadas de 2024 e mais um ousado projeto arquitetônico terá sua sede aqui pois a vila olímpica poderá ser construída numa ilha do rio Elba.

Sobre o famoso Porto de Hamburg, Alemanha

Porque não há nada melhor do que viajar para um lugar sabendo um pouquinho da história e curiosidades sobre ele, né? A viagem fica mais rica e tudo faz mais sentido! Quem concorda? o/

No post de hoje da nossa coluna semana “Por que Alemanha?” (clica AQUI pra ler os demais posts!!), a Chris traz pra gente alguns fatos e curiosidades sobre o famoso e importante Porto de Hamburg! Vamos ver? Quando você fizer sua viagem para a Alemanha, já vai estar bem informado! 😉

Por que Alemanha - Porto de Hamburg

“Alemanha – Porto de Hamburg                  

Hamburg – o portão para o Mundo. Comércio e navegação contribuem há séculos para o ambiente internacional dessa cidade à beira do rio Elba, com 4 milhões de habitantes na área metropolitana.

Porto de Hamburg - Chris

Hamburg é uma cidade-estado, fica bem no norte da Alemanha, pertinho da Dinamarca, à margem do Rio Elba. É uma cidade com muito verde e é considerada uma das cidades mais bonitas da Alemanha, recebendo 120 milhões de turistas anualmente. Hamburg é uma cidade hanseática que fazia parte da Companhia de Navegação e Comércio Hansa. Entre 1850 e 1934 mais de cinco milhões de emigrantes saíram da Europa para o Novo Mundo pelo porto de Hamburg. Eram emigrantes dirigindo-se a América do Norte e do Sul, incluindo o Brasil.

Porto de Hamburg - Cartazes

É interessante notar que no Brasil, Hamburger Berg foi a primeira fundação no Vale dos Sinos, Sul do Brasil, que mais tarde tornou-se Hamburgo Velho, o nome original significava “Morro dos Hamburguenses”, daí se origina a Novo Hamburgo atual. Hoje, Novo Hamburgo é conhecido como a Capital Nacional do Calçado e é considerada a maior cidade de origem alemã do Rio Grande do Sul.

Em Hamburg também chegaram de navio os imigrantes para trabalhar na indústria e reconstruir a Alemanha no período do pós-guerra. Isso faz com que a cidade tenha grande tradição em suas relações internacionais e multiculturais, sendo chamada de “Portão para o Mundo” (Tor zur Welt).

Porto de Hamburg - Navios

O Porto de Hamburg transformou-se em breve tempo em um local turístico interessante para navios de cruzeiro em virtude de localizar-se bem no centro da cidade e assim perto das atrações turísticas. Além disso, tornou-se comum que habitantes da cidade saúdem os navios da margem do rio Elba durante a sua chegada à cidade, muitas vezes acompanhados por um espetáculo de fogos de artifícios patrocinado pela cidade.

História e Tecnologia

O porto nasceu na Idade Média, ganhou cada vez mais importância durante o século XIX, foi bombardeado durante a 2ª Guerra Mundial e em pouco tempo reergueu-se e modernizou-se. Entre 1958 e 2008, o movimento anual passou de 30 milhões de toneladas para 140 milhões de toneladas. Atualmente, a containerização – manipulação de mercadoria por containers, que indica o nível de modernização do porto – chega a 96%.

Uma média de 12 mil navios cargueiros passam por Hamburg todos os anos. É mais do que o dobro, por exemplo, do volume de navios que atracou no Porto de Santos, o maior do Brasil, em 2009.

Porto de Hamburg - Cargueiro

Economicamente, o Porto de Hamburg é o segundo maior porto da Europa, possui uma localização geográfica estratégica para distribuição de produtos depois que estes chegam no Porto. O Porto fica na beira de um rio, o Rio Elba, e os navios chegam pelo mar do Norte, entrando 70 milhas náuticas pelo rio até chegar no Porto.

Porto de Hamburg - Rio Elba

O Rio Elba tem 1.165 km de extensão, com 870 km navegáveis. Em sua foz no Mar do Norte, logo depois de Hamburg tem 15 km de extensão.

Previsões confirmam que em 2 ou 3 anos, o Porto de Hamburg ultrapassará o Porto de Amsterdã, o maior concorrente, em temos de volume movimentado. Para isso discute-se no momento os planos para o aumento da profundidade do rio Elba, construção de novas estradas e ferrovias além das já existentes para assegurar o acesso e escoamento das cargas ao porto. Só para exemplificar, diariamente chegam ao porto 200 trens de carga e as previsões futuras são de 450 trens por dia. A companhia ferrovia portuária administra 330 km de trilhos, incluindo 5 estações, 7 cruzamentos e 73 pontes e uma moderna torre de controle central.

Além disso, apesar de ter terminais para a movimentação de cargas a granel, a ênfase está na movimentação de cargas em containers. Isso faz de Hamburg um grande centro de comércio exterior. O porto é responsável por 40% da arrecadação fiscal do Estado de Hamburg. Mais do que a indústria aeronáutica, presente no Estado com a Airbus, maior concorrente da Boeing, com 15.000 funcionários em sua fábrica ali situada.

No porto existem vários museus náuticos que podem ser visitados, por exemplo, o Rickmer Rickmers e o Cabo São Diego. Visitas guiadas através do porto da cidade são muito interessantes.

Curiosidade: Comparação de 5 portos em volume de TEUs (Twenty Foot Equivalent Units – dados de 2007)

HAMBURG                            9 889 792 

BREMEN/B’HAVEN             4 912 177 

SANTOS                                 2 532 900 

AMSTERDAM                        370 000 

BUENOS AIRES                     1 700 000 (2006)

>> Por que Alemanha?

–  Porque aqui o cidadão participa ativamente da vida política. Em 2010 aproximadamente 120.000 pessoas se reuniram em demonstração contra usinas atômicas. Eles formaram uma corrente humana de 120 km entre os reatores Krümmel e Brunsbüttel, passando no meio de Hamburg.”

Bad Urach e sua coleção de trenós!

Ai ai ai que essa semana não teve post ainda! Devo confessar que morar sozinha em outro país com tantas coisas pra ver e tantos afazeres domésticos, ter um trabalho online do Brasil, arrumar outro como disher em um restaurante duas vezes por semana, fazer post para o blog, atualizar a página do Facebook (segue lá!) e fazer vídeos para o canal (assiste aê!) não está sendo tarefa das mais fáceis! Hahaha

Obs.: pra ajudar, a internet resolveu para de funcionar bem na hora que estava escrevendo esse post! 

Mas para compensar esse pequeno abismo sem posts, lá vem a nossa querida Chris, que escreve nossa coluna semanal “Por que Alemanha?” para nos encher de alegria com mais um post lindo!

O que eu mais gosto nesses textos da Chris é que dificilmente você vai encontrar informações sobre as cidades, passeios e paisagens que ela traz aqui em qualquer outro site ou guia turístico. Por morar na Alemanha e ser uma curiosa nata, ela sempre descobre lugares incríveis, como o de hoje, que tem, inclusive, a maior coleção de trenós do mundo. Você sabia que em algum lugar do mundo existia uma coleção de TRENÓS? Nem eu! E é por isso que eu amo essa coluna! <3

Mas eu já falei muito. Clique AQUI para ver os demais posts do “Por que Alemanha?” e divirta-se!

Por que Alemanha - Bad Urach

Alemanha – Bad Urach

E lá vamos nós, passear por uma linda cidade situada no coração da reserva da biosfera tombada pela UNESCO, aqui o que não falta é qualidade de vida.

Bad Urach é uma pequena cidade no pé da “Schwäbischen Alb”, localizada no distrito de Reutlingen em Baden-Wuerttemberg. Garanto que será muito difícil achar esta pequena e histórica cidade, que já serviu de sede da moradia dos reis de Württemberg-Urach, em qualquer guia turístico.

Bad Urach - Cidade

A cidade é pequena, somente 13.000 habitantes, mas vejam o que, somente num piscar de olhos, descobri por aqui:

– Praça central medieval

No centro da cidade de Bad Urach encontramos esta linda praça que servia de mercado medieval, com suas casas em estilo enxaimel, datadas no século 15 e 16, marcante é a visita na igreja de St. Amandus, de estilo gótico.

Bad Urach - Praça Medieval

– Palácio real Urach

O palácio real Urach foi construído em 1443. Durante algum tempo, ele foi usado como residência durante a divisão dos Württemberg. O palácio também foi o berço do Conde Eberhard V e Christoph duque de Württemberg. 

Bad Urach - Palácio Real

Marcante é a sua arquitetura, em especial seu hall, com suas abóbadas góticas. O salão das palmeiras é algo totalmente inesperado! Lindo e diferente, com as representações mais antigas da palma na Europa (acho que minha memória tropical se sentiu especialmente tocada por esta menção), e a Câmara de Ouro, um dos melhores salões renascentistas no sul da Alemanha.

Bad Urach - Interior do Palácio Real

O castelo é o único remanescente do palácio residencial que data do auge do ducado do Württemberg no final da Idade Média. Somente seu “Salão Dourado” com sua magnitude, já vale uma visita.

– A maior coleção de trenós do mundo

Urach é mesmo surpreendente! Aqui nas instalações do palácio está a maior coleção de trenós servidos para transporte cerimonial, datados do século 17 e 19! 

Ricamente esculpidos e em formatos inesperados, os veículos eram usados para a diversão do duque de Württemberg, no inverno.

Bad Urach - Trenós

Peças que são verdadeiras obras de arte!

Mas além de tudo isto, Bad Urach é local perfeito para caminhadas.

Há exatamente um ano, em 3 de Maio de 2014, foi inaugurado o percurso com cinco trilhas “premium” Grafensteige, (testadas e certificadas pelo Instituto Alemão de Caminhadas) para felicidade de todos os amantes de caminhadas da região!

Bad Urach - Trilhas

Não é possível precisar quantas pessoas já passaram por estes cinco roteiros neste ano.

Caminhada é um esporte que nos últimos anos tem se tornado muito popular. Os adeptos a caminhadas esperam mais e mais uma melhor estrutura. Um ponto importante é a sinalização completa e confiável, o que é condição básica para uma trilha premium e por isto mesmo são tão apreciadas.

Bad Urach - Trilhas 2

Mas este não é o único critério para se obter esta certificação. A rota tem que ser variada com relação a caminhos e paisagens, com mínimo trecho asfaltado, pontos importantes relativos a paisagens e vistas, boa mobilidade pelos caminhos e excelente sinalização. A região de Bad Urach se enquadra perfeitamente nestes aspectos.

Eu completei a trilha até a cachoeira Urach, que por si só é uma experiência muito agradável, mas em conjunto com a vista deslumbrante de todo o percurso, faz da caminhada um grande prazer.

Esta cachoeira tem uma queda livre de 37 m sobre falésias e suas águas percorrem 50 metros ao longo de um caminho de calcário, rodeado por musgos, é lindo!!!

A trilha “Grafensteige” não é feita para passeio, e sim para caminhadas. Desta forma, é extremamente recomendado o uso de calçado adequado. Principalmente depois e durante as chuvas a rocha calcária e o solo podem ser muito escorregadios.

E uma experiência à parte neste lindo vídeo: o despertar da natureza no início da primavera, em abril 2012, em “Grafensteige”. Se puder, pare tudo o que você estiver fazendo e ative seus sentidos: ouça os pássaros e a água, veja as cores renascendo, e os aromas que surgirão neste desabrochar, sinta nas mãos o frescor da água e a umidade das pedras…

>>Por que Alemanha?

– Porque aqui, no distrito de Frauenwald, ocorrerá em 02/2016 o campeonato mundial de corrida de trenós com Huskies. Excelente programa para uma gélida semana de inverno! Torcerei pela vitória alemã!”

Tudo sobre a Catedral de Speyer, na Alemanha!

Quem aqui adora conhecer catedrais e igrejas antigas? \o/ Esse post é pra você! Essa semana, a Chris Rogatto, colunista querida do “Por que Alemanha?” traz pra gente um pouquinho sobre a cidade de Speyer e sua catedral, Patrimônio Mundial da UNESCO e considerada a maior igreja romântica preservada do mundo! Nada fraca, hein?

Chega de conversa e vamos conhecer a tal Catedral de Speyer!

** Para ver todos os posts da série “Por que Alemanha?”, clique AQUI! Tem muita coisa linda!

Por que Alemanha - Catedral de Speyer

“Alemanha

Speyer em Rheinland-Pfalz

Speyer, você alguma vez já ouviu falar desta cidade?? Para mim foi mais uma feliz experiência conhecê-la. Pequena, porém tão diferente de todas as outras cidades alemãs antigas que já conheci, pois sua rua principal, a Maximiliansstrasse, que nos leva da catedral até a prefeitura, é muito larga e iluminada e não é difícil imaginarmos que por ali andaram também soldados romanos e imperadores medievais. A arquitetura e história de suas lindas e preservadíssimas construções são um presente para nossos sentidos!

Catedral de Speyer - Cidade

Catedral de Speyer - DesenhoSpeyer é uma cidade histórica e culturalmente muito importante no Alto Reno. Fundada pelos romanos, então denominada Noviomagus ou Civitas Nemetum, é uma das cidades mais antigas da Alemanha. Ela possui diversas facetas turísticas, lindos parques, ciclovias maravilhosas, um museu impar de tecnologia, mas entre tantos aspectos, optei em hoje apresentar para vocês a Catedral de Speyer, que é a maior igreja românica preservada do mundo (construída aproximadamente entre 1030 e 1124) e desde 1981 é um Patrimônio Mundial da UNESCO.

Eu fiquei mais impressionada ao tomar conhecimento das explicações teológicas, que me auxiliaram a compreender antes de tudo, a mensagem religiosa do edifício. Assim sendo, vamos mergulhar um pouco neste universo religioso!

Catedral de Speyer - A Catedral

Catedral de Speyer

A catedral propõe ser uma representação da Cidade Santa de Deus, e apresenta três portais para o lado ocidental, igual ao descrito por João no texto de Apocalipse, sobre a Jerusalém Celeste.

Sobre o portal central abre-se uma rosácea circular como símbolo Divino. No centro da rosácea como centro da criação e meta de nossa vida, encontra-se Jesus Cristo. A rosácea é emoldurada por um quadro – símbolo da Terra.

Catedral de Speyer - Interior

Enquanto o átrio dispõe de três entradas, chega-se ao interior da catedral por uma só. Este portal é como a porta estreita do céu. Este portal impressiona pelo fato de ser feito através de uma parede de sete metros, em degraus, sendo ainda o lugar mais estreito desta parede.

Passando pela porta estreita, abre-se então uma vista imponente da nave central da igreja, que possui só um coro, ao contrário de outras catedrais, pois o edifício deve levar o peregrino somente para frente, ao encontro da luz.

Catedral de Speyer - Interior 2

Em sua nave central percebemos que a mesma é dividida em doze arcos. A igreja é fundada nos alicerces dos doze Apóstolos. Olhando para cima podemos ver sempre dois arcos unidos e abobados. Assim originam-se sobre a nave central seis grandes acoplamentos – na Idade Média símbolo do céu. Indicam o decorrer dos seis dias da Criação, ou melhor, o tempo terrestre.

Catedral de Speyer - Estátua de Maria

Uma alta estátua de Maria recebe o peregrino na entrada do coro.

A cripta

A cripta é a parte mais antiga da catedral. Seu estilo, as cores das pedras, como também a luz fraca nos convidam ao silêncio.

Na cripta é possível hoje visitar as sepulturas dos imperadores e reis das estirpes “Salier”, “Staufen”e “Habsburger”. Desde o princípio a catedral foi destinada como jazigo dos soberanos que tinham forte convicção que exerciam seus reinados em nome e por ordem de Jesus Cristo.

Catedral de Speyer - Cripta

Os jazigos dos imperadores lembram aos peregrinos a seriedade profunda com a qual estes soberanos exerceram seu poder. Eles consideravam que sua responsabilidade não foi só dado pelos homens, mas também por Deus. A função do poder na terra somente é abençoada quando se orienta em Deus e em seus mandamentos. Esta é a mensagem que parte da cripta dos imperadores. A coroa de dimensão extrema, cópia da coroa funerárias do imperador Konrado II, na nave da catedral, indica a posição dos túmulos dos imperadores.

Catedral de Speyer - Arcos

Para você sentir melhor o que é esta catedral, e tomar conhecimento sobre outros aspectos desta construção, aconselho você assistir a este curto filme feito pela UNESCO:

Uma interessante curiosidade – o Brezel

Quem pensa que a rosquinha salgada típica alemã nasceu na Baviera está errado. Pelo menos, é o que os moradores de Speyer dizem. Para confirmar a autenticidade da informação, os turistas mais observadores podem ver no pórtico principal da catedral um anjo que segura em uma das mãos – um brezel! 

Catedral de Speyer - Brezel

O brezel tem seu nome originado a partir de sua forma, que lembra dois braços em posição de oração (bracellum, em latim, significa pequenos braços). A tradição é tão grande que todo o ano, Speyer realiza a Brezelfest, no segundo fim de semana de julho (mais informações, clique AQUI).

Uma homenagem ao companheiro indispensável da cerveja.

Catedral de Speyer - Cerveja com o marido!

>> Por que Alemanha?

– Porque na Alemanha encontramos curiosidades infinitas que a preservação da história nos proporciona. Por exemplo, no “Historisches Museum der Pfalz” a garrafa de vinho mais antiga do mundo pode ser vista. Foi achada na cidade de Speyer, dentro de um sarcófago de dois romanos e datada em 325 d.c.”

O que fazer na Costa Brava / Maresme (Espanha)!

E o “Por que Alemanha?” dessa semana é sobre… a Espanha? Sim! A nossa querida colunista Chris Rogatto passou uns dias curtindo o verão espanhol e veio aqui dar dicas sobre o que fazer na Costa Brava / Maresme. E se você está planejando uma Eurotrip ou uma viagem para Barcelona, leia esse post com atenção e inclua tudo no roteiro!!

“Espanha

Costa Brava / Maresme              

Para dar boas vindas ao verão, que já deu suas caras aqui no hemisfério norte, nada melhor do que sentir a areia escorrendo entre os dedos, o sol aquecendo e dourando a pele, e o vento a refrescar as sensações.

O que fazer na Costa Brava - Mar

E penso que Espanha foi o destino certo para eu festejar a entrada da mais deliciosa estação do ano, tão esperada para uma alma tropical que se esforça para se adaptar ao clima alemão, mas que não abre mão dos tons azuis do mar se encontrando com o céu no horizonte e o amarelo das areias quentes… E é para todos os brasileiros que, como eu, moram distantes do Brasil, e tanto sentem saudades daquele maravilhoso sol, que dedico este post.

O que fazer na Costa Brava - Bandeiras

Maresme é uma região costeira situada entre Barcelona e La Selva, à beira do Mediterrâneo. A área é conhecida por suas belas praias e excelentes instalações de lazer.

O que fazer na Costa Brava - Mapa

Para quem gosta de construir castelos na areia….

O que fazer na Costa Brava - Areia

Maresme abriga praias intermináveis de águas cristalinas. Se você estiver procurando tranquilidade e relaxamento, uma parada na Praia Garbí em Calella é uma obrigação. Este ponto tem recebido a bandeira azul de qualidade a cada ano, desde 1994. É o lugar perfeito para relaxar e desfrutar de um pouco de sol quente.

O que fazer na Costa Brava - RestauranteAs praias vizinhas de Sant Pol de Mar também valem a pena visitar. Com as suas enseadas belíssimas, estas cidadezinhas são pequenos paraísos do Mediterrâneo. Porém não só suas praias são convidativas, como também um passeio pelas ruelas das cidades. Sua arquitetura típica, lojas com ótimos preços, e principalmente em Calella, barzinhos e mais barzinhos….. Impossível não nos sentarmos por alí, observando o movimento das pessoas alegres pelas ruas.

 

Mas é em Pineda del Mar, com mais de 3 km de praias, que você achará o lugar ideal para um longo passeio à beira-mar!

O que fazer na Costa Brava - Bicicleta

As delícias gastronômicas em Maresme

Maresme não é só conhecida por suas praias magníficas, sua gastronomia é de excelente qualidade. Se você estiver por ali no verão, recomendo aproveitar as “Jornades Gastronòmiques del tomàquet del maresme” (celebrações do festival de tomate), realizada em toda a região de 23/07/2015 até 30/08/2015. O festival se concentra em pratos tradicionais à base de tomates ali cultivados. Neste link você achará mais detalhes sobre o evento.

Maresme tem também algo realmente especial para todos os teus sentidos… cores, sabores, aromas, texturas.

Em Sant Pol de Mar você poderá jantar em grande estilo no restaurante Ruscalleda, três estrelas no Michelin, que se especializou em produtos locais e sazonais preparados para o mais alto padrão de exigência (www.ruscalleda.com), um verdadeiro esplendor mediterrâneo !

Cultura e história por aqui também…

O que fazer na Costa Brava - Janela

 

Devido às grandes influências de muitas regiões de Espanha, Maresme tornou-se uma área fascinante. Em Canet de Mar podemos fazer um agradável passeio histórico, à beira-mar: “Visiones de Gente de Mar”, que abrange alguns dos locais mais importantes do passado marítimo da região.

 

O Museu de Mar em Arenys também é um ótimo destino para descobrirmos mais da cultura local e isto por muito pouco (€3,10). O museu é dividido em duas seções diferentes, uma designada a contar a história da renda e outra para exposições de mineralogia, sendo que ambos estão intimamente ligados ao passado da região. Mas, se você se interessa pela música clássica, então não perca o Festival de Música de Santa Florentina, realizado em um castelo medieval em Canet de Mar até o dia 15 de agosto de cada ano.

Como chegar…

A RENFE Cercanias R1 é o trem que percorre a cada 15 minutos de Barcelona até a área de Maresme.

O percurso leva aproximadamente 40 minutos. O ticket bomtrem permite fazer até 10 viagens, no período de 3 dias, por €14,50, e desta forma você poderá parar em todas as cidades da região e conferir as dicas que eu dei. A localização da estrada de ferro é um deleite à parte, pois vai ladeando o mar, a viagem é simplesmente linda!

O que fazer na Costa Brava - Trem

Maresme é o melhor destino para uma viagem de um dia, fora de Barcelona, caso você queira fugir um pouco da agitação da cidade grande e descansar sob o sol do Mediterrâneo em uma das muitas praias bonitas! Boa viagem !!!!

O que fazer na Costa Brava - Praias

>> Por que Alemanha ?

– Porque aqui em cada cidade existem aproximadamente 3 a 4 diferentes times de futebol, onde crianças e adolescentes podem se aprimorar no esporte, e 1x ao ano terem a felicidade de participar de torneio no Maresme!!!!!”

 

A cidade alemã de Ulm e suas atrações imperdíveis!

E o “Por que Alemanha?” continua! Essa semana, a Chris fala sobre a cidadezinha de Ulm, lugar que não pode ficar de fora do seu roteiro em visita ao país. A famosa Catedral, o bairro dos pescadores, o hotel mais torto (ainda funcionando!!) do mundo são algumas das atrações que vai ver por lá. Bora?

Para ver todos os posts da série “Por que Alemanha?”, clica AQUI. Tem muita cidade incrível e super diferente que você não encontra informação por aí, viu? Vale a pena o clique! 😉

Por que Alemanha - Ulm

Alemanha – Ulm 

Possui 170.000 habitantes e está a 478m de altitude.

Ulm é uma cidade universitária situada às margens do Rio Danúbio, na divisa com o estado de Bayern. É uma das oito maiores cidades no sul da Alemanha.

Devido à sua localização no cruzamento de várias rotas comerciais e rotas de peregrinação por terra e água, Ulm se desenvolveu durante a Idade Média como uma cidade imperial livre em um importante centro comercial e cultural no sul da Alemanha. No final da Idade Média comerciantes encontravam-se em Ulm formando uma densa rede de contatos comerciais, que ia desde a Escandinávia até a África do Norte, da Síria para a Irlanda e mais além. Foi também uma das mais importantes rotas de séculos de peregrinação para Santiago de Compostela.

Ulm - Pintura

A cidade é famosa pela sua catedral gótica a Catedral de Ulm, cujo campanário possui 161,53 m e 768 degraus, é considerada a mais alta do mundo, subir a escadaria da torre é uma experiência incrível. Felizmente a sua torre não foi destruída durante a segunda guerra, já que aproximadamente 80% do centro histórico da cidade foi bombardeado em 1944.

A vista da cidade, o Danúbio, enfim, todo o ambiente, é particularmente bonito. Veja quanta coisa legal tem para a gente ver por lá…

Vista da cidade de Ulm

A Catedral

Mesmo sendo chamada de Catedral por seu grande tamanho, ela nunca foi sede de um bispo. Assim como a famosa Catedral de Colônia, a Catedral de Ulm permaneceu incompleta até o século XIX. Sua construção, em estilo gótico, iniciada com o lançamento da pedra fundamental em 1377, foi concluída apenas 513 anos depois, com a colocação final da torre em 1890 e é hoje símbolo da cidade.

Catedral de Ulm

Durante todo este ano ocorrem comemorações dos 125 da catedral, e uma das atrações mais interessantes é a instalação “Solar Equation”. Elaborada pelo artista mexicano Rafael Lozano-Hemmer, e localizada no hall de entrada da catedral. Ali flutua um sol artificial, 200 milhões de vezes menor que a estrela. Através de projeções na bola, vemos simulações dos raios solares, que foram produzidas através de complexas equações matemáticas e representam uma simulação totalmente real. ADOREI!!!!

Ulm - Sol da Catedral

O Ulmer Spatz (o Pardal de Ulm)

Acredite, uma simples história fez do pardal símbolo da cidade, o encontramos por todos os cantos. Até um asteroide (8345) recebeu em 1987 o nome de “UlmerSpatz” – incrível!

Pardal de Ulm (Ulmer Spatz)

A lenda nos conta que enormes vigas de madeira vinham de longe para a construção da catedral, porém, devido ao seu tamanho, não passavam pelo portão da cidade. Já prestes a arrombarem a porta, foi visto um pardal, que carregava uma longa palha em seu bico, para construir seu ninho. Este pardal voou com o ramo através do portão em sentido longitudinal o que repentinamente trouxe a solução para os trabalhadores entrarem com as vigas, pois insistiam entrar com elas no sentido transversal (rsrsrsrs…). E como forma de gratidão eles ergueram um pequeno monumento no telhado da Catedral com a forma do pardal segurando o galho de trigo.

Relógio astronômico na Prefeitura de Ulm

O relógio astronômico localizado no prédio da prefeitura de Ulm é uma obra-prima da relojoaria medieval, construído em 1581, pelas mãos do relojoeiro mais importante da época, Isaac Habrecht. O relógio realmente impressiona pelo seu design externo, com seus mostradores e símbolos do zodíaco. No entanto, ele fascina também pelo seu funcionamento e a variedade de informações que oferece. Pelo menos 15 diferentes dados e eventos astronômicos podem ser lidos – isto se você souber como interpretar a posição do ponteiro e o anel do zodíaco corretamente.

Ulm - Relógio Astronômico

Se você se quiser aprender a arte de interpretar a leitura deste relógio, encontrará para isto aqui um link recente com a versão virtual do Astro-relógio de Ulm, tudo em real-time.

Fischer Viertel (bairro dos pescadores)

Ulm - Bairro dos Pescadores

Bairro dos Pescadores

Em um passeio pelo bairro de pescadores, nos deparamos com construções típicas e muito antigas, porém uma delas é especial e catalogada no Guiness Book, como o hotel mais torto ainda em funcionamento do mundo, o “schiefes Haus”.

Ulm - Schiefes Haus

Ulm sempre é um destino muito interessante quando se quer assistir a Open Airs, grandes artistas internacionais passam por ali todos os anos. Se você estiver por aqui neste ano eu recomendo estes 2 eventos, quem sabe você também consegue programar sua ida e nos encontramos por lá….

– Joan Baez em 12/07

– Andreas Bourani em 10/07 (lembra-se da música tocada qdo Alemanha venceu a copa?)

>> Por que Alemanha ?

– Porque aqui é terra natal de Einstein, o filho mais famoso de Ulm. Você sabia que no dia de seu aniversário, 14 de março, comemora-se também o dia do \pi (pi)?”

 

Blautopf: a caverna de águas cristalinas da Alemanha!

E pra quem acha que na Alemanha só tem castelo, vai se surpreender com esse post sobre uma caverna misteriosa de águas cristalinas! Dá para imaginar? Vem ver então!

Para ver todos os posts da nossa super coluna “Por que Alemanha?”, escrita pela Chris Rogatto, clica AQUI!

Por que Alemanha - Blautopf

“Alemanha – Blaubeuren / Blautopf

Quem pensa que apenas terras muito distantes e ilhas tropicais apresentam maravilhas naturais emocionantes, está totalmente equivocado.

Terra desconhecida – sim, o desconhecido realmente ainda existe na Alemanha. Os mapas subterrâneos estão cheios de “manchas brancas”. Ninguém sabe exatamente quantas cavernas ainda estão para ser exploradas e quantos quilômetros de corredores, nas já conhecidas cavernas, ainda necessitam ser pesquisados. Salões enormes se apresentam aos exploradores, decorados com estalactites e estalagmites. Neles, os pesquisadores descobrem animais enigmáticos que são perfeitamente adaptados à escuridão eterna das cavernas.

E, falando de cavernas e águas subterrâneas, a primeira imagem que vem a mente é a cor azul intensa e mágica do Blautopf, fonte de água de origem subterrânea, situada na simpática cidade de Blaubeuren, localizada 20 km a oeste de Ulm. Blautopf, que significa “panela azul” é um intrigante e maravilhoso espetáculo da natureza.

Blautopf

O Blautopf é a segunda maior fonte cárstica da Alemanha. E ali ainda esconde-se um segredo: a entrada para um sistema de cavernas, criado ao longo de milênios, com quilômetros de extensão, que é em grande parte inexplorada. Somente há poucos anos apenas um pequeno grupo de mergulhadores altamente especializado pode ali entrar.

Blautopf - grafico

 

A superfície da Suábia consiste em calcário fraturado e permeável, desta forma as precipitações nesta região não se acumulam em rios, porém infiltram-se imediatamente no solo. Assim, dentro das montanhas formaram-se sistemas de cavernas muito ramificadas.

No período de chuvas e da ocorrência do derretimento da neve, o leito do Blautopf aumenta acentuadamente. A água necessita de alguns dias para percorrer de sua nascente subterrânea até a sua saída na superfície do Blautopf.

Blautopf - Caverna

Jochen Hasenmeyer, membro da Arbeitsgemeinschaft Blautopf – clube dedicado à exploração da fonte -, foi nos anos 60 um dos primeiros mergulhadores de cavernas no mundo, e o primeiro a conhecer de perto a beleza mágica do subterrâneo do Blautopf.

Temos que lembrar que a partir de uma profundidade de cerca de 30 metros uma quantidade grande de nitrogênio acumula-se no sangue de um mergulhador, que pode então ter uma espécie de intoxicação. Isto foi motivo de morte de vários mergulhadores no Blautopf. Porém o acúmulo de nitrogênio nunca o intoxicou.

Em 2007 foi lançado um interessantíssimo documentário sobre a fonte e os trabalhos de exploração. O filme chama-se “Mythos Blautopf – Expedition ins Dunkel”, falado em alemão e com duração de 43 min. Eu só consegui achar um trailer para compartilhar com você:

Mesmo nos dias atuais, a cor azul do Blautopf transforma o local em algo verdadeiramente místico. E quando o sol brilha intensamente em seu fundo, este azul extremo deixa qualquer um totalmente fascinado.

Blautopf - água

Nas placas indicativas próximas ao lago, o visitante encontra dados muito interessantes, mas me impressionam mesmo os dados sobre a vazão da água:

2.300 L/s de água, porém na época da cheia ou degelo chega até a 32.000 L/s!!!!!

Todo o sistema subterrâneo do Blautopf consiste em aprox. 160 km2, ou seja, no km 160 a água da chuva ou degelo infiltra e sai então no sistema de cavernas do Blautopf.

Blautopf - sereiaExistem muitas lendas sobre esta fonte, mas a mais conhecida não é nem tão antiga. No século 19 o famoso poeta alemão Eduard Mörike publicou um livro chamado “Das Stuttgarter Hutzelmännle”, escrito como um velho conto de fadas. O livro descreve a viagem de um sapateiro muito qualificado, de Stuttgart para Blaubeuren, e nesta sua viagem várias lendas de toda a região são retratadas. A mais famosa delas acontece no Blautopf, e é a de uma sereia chamada Schöne Lau (Linda Lau). Como ela não era capaz de trazer filhos vivos ao mundo, ela perdeu a capacidade de sorrir. Seu marido, um rei do Mar Negro, então a baniu para este lugar, de onde ela só voltaria após ter sorrido por cinco vezes. Os humildes moradores da região a ensinaram então a sorrir novamente.

Palavras do explorador Andreas Kucha:

“As explorações estão ainda engatinhando. O sistema de cavernas vai para o norte, em direção ao oeste, nós naturalmente gostaríamos de explorar nestas áreas, onde nenhum homem esteve. A coisa toda é emocionante, meu principal objetivo é, tanto quanto possível avançar nesta área de captação. Seria excelente se pudéssemos entrar em Blaubeuren e, em seguida, sair em algum momento de Zeiningen, que em linha reta, localiza-se a 18 quilômetros de distância.”

Se você quiser se aprofundar mais sobre os trabalhos de exploração, dê uma navegada nesse site. Lá você consegue também no link, a versão em inglês.

>> Por que Alemanha ?

– Porque na Alemanha, uma entre quatro pessoas tem idade superior a 60 anos. Aqui eu vejo as pessoas idosas, vivendo independentes, cuidando de si e totalmente integradas e aceitas na sociedade.”

A linda Hohenstaufen, na Alemanha!

Mais um post da coluna “Por que Alemanha?” lindo e maravilhoso escrito pela Chris Rogatto. Quem gosta de história, vai gostar de ler o que ela trouxe pra gente hoje.

Obs.: Gente, a primeira foto é um deslumbre!

Para ler tudo o que já foi escrito no “Por que Alemanha?”, clica AQUI!

Por que Alemanha? - Hohenstaufen

“Quem estiver viajando pela B 10, no trajeto dentro do estado de Baden-Württemberg, e passar próximo da cidade de Göppingen, achará muito interessante a formação e localização de uma montanha ao longe. É o Hohenstaufen! Que é um dos meus lugares favoritos na região, principalmente pelo panorama que avistamos quando estamos em seu topo, mas também por saber que, por quase dois séculos, os duques da Suábia fizeram ali sua moradia.

Hohenstaufen - Vista

Hohenstaufen - desenho do castelo

 

Em 1070 a família Staufer construiu ali um castelo, que na Guerra dos Camponeses, em 1525, foi parcialmente destruído, e infelizmente foi corroído com o passar dos anos sendo considerado em 1736 como totalmente destruído. Nos anos 1967-1971 os restos de seu muro principal foram escavados e ainda podem ser vistos.

 Ruínas do castelo

DICA: Antes de visitar o Hohenstaufen sugiro entrar na exposição permanente “Die Staufer”, sobre a procedência e importância da família na história da Europa, localizada num centro informativo instalado para este fim, no sopé da montanha, próximo a Igreja Barbarossa, isto tornará o passeio muito mais interessante!

Hohenstaufen - Die StauferDentre os vários fatos que me interessaram na exposição, me surpreendi ao saber que à partir do final do século 11 até a segunda metade do século 13, os Staufer prevaleceram na Europa: foi um período de grande tensão política entre a Igreja e o Imperador. Os governantes desta dinastia pregavam uma sociedade mista, incentivando o desenvolvimento da ciência, literatura e arquitetura, e como também se preocupavam com o desenvolvimento urbano e o comércio, criaram assim a base para o desenvolvimento da Europa até nos dias atuais.

O castelo dos Staufer era uma obra-prima da arquitetura de burgos. Dentro dos padrões da época, eles utilizaram as técnicas mais modernas para sua defesa.

Hohenstaufen - maquete do castelo

O Hohenstaufen é um lugar onde o sopro da história nos contagia. A perspectiva que temos de toda a região observada ali de cima é algo, sob minha visão, como que uma viagem ao “paraíso”!

Hohenstaufen - Chris

Memoriais a uma dinastia famosa

A Associação Amigos dos Staufer instituiu a colocação de colunas comemorativos em locais, associados com a importante história da dinastia Staufer na Europa. Eles podem ser encontrados na Itália, França, Alemanha e Áustria.

Em 2002, uma destas colunas, feita em mármore de Puglia, foi erguida no Hohenstaufen. Ela foi erguida para comemorar o 50º aniversário do Estado de Baden-Württemberg juntamente com o aniversário de 750 anos do último integrante da dinastia Saufer, Konradin.

Hohenstaufen - coluna

A sua forma octogonal é uma reminiscência do Castel del Monte, o Castelo dos Staufen, no sul da Itália. A faixa dourada que fecha o pilar acima simboliza a coroa imperial do Sacro Império Romano. A inscrição ítalo-alemã “Hohenstaufen – uma montanha – um castelo – uma dinastia – uma era – um mito” salienta a especial importância do lugar.

Hohenstaufen - inscrição

A vista que temos ali de cima, para toda a região do “Stauferland” é simplesmente maravilhosa! Podemos também avistar outras duas montanhas reais (como aqui são conhecidas) , o Hohenrechberg (Rechberg, local do qual já falamos anteriormente) e o Stuifen. Podem acreditar, em dias de sol, nossa vista alcança um panorama distante em até 100 km – FANTÁSTICO.

Hohenstaufen - Stauferland

Após a deliciosa caminhada pelo bosque que circunda a montanha (duração de aproximadamente 15 minutos), será muito provável que uma parada para uma deliciosa refeição ou um café seja uma ótima pedida. No topo do morro você encontrará o restaurante “Himmel&Erde” (céu e terra) onde você poderá repor suas energias e recuperar o fôlego da incrível experiência visual!

Hohenstaufen - paisagem

Mas se algo mais simples lhe agrada, é só levar sua salsicha, um pouco de carvão e usar o grill do Hohenstaufen.

Então é só abrir a cerveja, sentar e admirar a paisagem, e bom apetite.

>> Porque Alemanha ?

– Porque os churrascos nos parques daqui são uma opção bem legal para passar tempo ao ar livre com os amigos (apesar da qualidade da carne bovina não chegar nem aos pés da brasileira). O custo é baixo e o visual normalmente incrível.”

Hildegard, a primeira feminista de todos os tempos!

Você também ama os textos da Chris, que escreve a nossa coluna semana “Por que Alemanha?”. Eu amo! E o pos de hoje é especial porque, além de ser o último da série sobre o Rio Reno (os outros dois estão AQUI e AQUI. Vale a pena ler!), conta a história de uma mulher que fez a diferença na Idade Média!

Curioso? Vamos lá então!

Por que Alemanha? - Hildegard

“Alemanha – Viajando pelas margens no Vale do Médio Reno

Bingen e Hildegard

Após termos viajado e falado muito sobre o Rio Reno e sua importância, sobre a simpática acolhida que Gau Algesheim proporciona a qualquer um que por ali passa e sobre a linda e romântica arquitetura de Bacharat, finalizo esta série de viagens pelas margens do Reno, contando um pouco da história de uma marcante personagem feminina, única na idade medieval, cuja vida está inteiramente ligada à cidade de Bingen.

Hildegard - vista

Mesmo antes da chegada dos romanos nesta região, existia nas terras hoje conhecidas como Bingen, um assentamento celta, cujo nome era “binge” (= fosso). Estamos então falando de um período antes de Cristo – sim, a história desta região é antiquíssima! No período em torno de 335-360, o presbítero Aetherius de Bingen fundou uma comunidade liderada por sacerdotes. Como prova deste período encontramos ainda hoje seu túmulo de pedra na Basílica de Martin.

Viajando agora por Bingen na Idade Medieval nos deparamos com lendas, ruínas e a surpreendente personalidade de Hildegard von Bingen, abadessa beneditina, nascida em 1098, também considerada como primeira representante da mística alemã da Idade Média. Você sabe quem ela foi?

Hildegard - estátuaHildegard foi a primeira feminista de todos os tempos. E, não se esqueça, estamos falando de um período entre 1098 e 1178! Apesar das rigorosas normas eclesiásticas, ela conseguiu conquistar um espaço para si nesse ambiente marcado pela religião, algo mais do que incomum naquela época.

Foi reconhecida cientista, fundou entre 1147 e 1150 o convento Rupertsberg. Após 1150 Hildegard escreveu um livro sobre a origem e tratamento de várias doenças, não só físicas como também de natureza interior e escreveu nele também sobre a qualidade e as propriedades curativas de várias criaturas e plantas.

Ela catalogou milhares de ervas medicinais e seus efeitos, criando uma fonte de pesquisas usada até hoje. E, diz a lenda, que ela teria descoberto então as propriedades do lúpulo, na mesma época em que a planta passou a ser utilizada para conservar a bebida, que compunha a alimentação nos mosteiros nas épocas de jejum.

Hildegard-plantas

Dedicou-se também à música, compondo importantes obras vocais sacras, principalmente para vozes femininas. Sua educação ia muito além do que era esperado de uma mulher em tal época.

Ouçam que maravilha…

Hildegard-Torre-dos-RatosMas, voltando a falar sobre a cidade de Bingen, continuamos a viajar por lendas e ruínas. Um dos mais famosos pontos turísticos da cidade é a famosa Torre dos Ratos (Mäuseturm) foi local para uma das mais famosas lendas da região. Dizem que um bispo foi cumprir penitência nela e foi devorado por mil ratos, como castigo por sua avareza, fato que não foi comprovado até hoje… A torre, no entanto, serviu até 1975 como sinalização para a navegação no Reno.

Atualmente não é mais muito fácil descobrirmos os locais frequentados por Hildegard em Bingen, devido a atual paisagem urbana da cidade. Mas ainda temos inúmeras maneiras de nos “encontrarmos“ com a mulher mais importante da Idade Média por alí. A trilha “Binger Hildegard” convida tanto moradores como também visitantes a conhecer os lugares que nos lembram de Hildegard, bem como sua colocação perante a sua vida e seu trabalho.

Nesta trilha, é possível também encontrar inúmeras lojas e restaurantes que se identificam de alguma forma com Hildegard von Bingen e nos oferecem produtos de excelente qualidade sempre com referência a ela. Desde literatura até vinhos, bem como também ervas e chás. Estes estabelecimentos podem ser reconhecidos pelo logotipo de Hildegard em suas vitrines.

Hildegard-logotipo

Bingen tem muito mais a oferecer, a cidade é linda, tem um bom comércio e ladeando o Rio Reno encontramos um delicioso parque, aonde caminhamos admirando a movimentação dos barcos, e podemos fazer uma deliciosa pausa para um típico café, à beira do Rio. Estando na região, não deixe de conhecer Bingen, você não se arrependerá!

>> Porque Alemanha ?

– Porque aqui, visitando cidadezinhas, que a princípio me pareciam oferecer um simples, porém lindo passeio turístico, me deparo com histórias seculares e personagens surpreendentes…”