Tag Archives: Rechberg

“Por que Alemanha?” – Rechberg

Ai que delícia! Mais um post lindo e diferente da nossa querida Chris Rogatto! Hoje ela vai fazer sobre Rechberg, uma cidadezinha localizada aos pés de uma montanha, super graciosa e cheia de histórias, claro.

Pra ver os outros temas da nossa super séria “Por que Alemanha?”, clica AQUI!

Vamos lá? 🙂

Por que Alemanha? - Hohenrechberg

” Rechberg, Schwäbisch Gmünd em Baden Würtemberg, possui 1.324 habitantes.

Semana passada comecei a falar um pouco de nossa região, o que me levou a complementar o assunto, falando hoje de Rechberg, pequeno distrito situado aos pés da montanha com o mesmo nome, a 5 km ao sul de Schwäbisch Gmünd e a 707,9 m de altitude. Rechberg é um dos três “Kaiserberge”, conjunto de três montanhas que definem e caracterizam o contorno montanhoso da região aonde moro.

Vista do Rechberg

Ainda em meados do Século 19 podia-se ver na paisagem ovelhas e cabras pastando. A partir de 1870, as encostas foram parcialmente replantadas com florestas. Desde 1955, toda a área do Rechberg, com exceção das áreas de assentamento, é protegida pela lei de preservação ambiental. A natureza e a paisagem que se tem do local é lindíssima!

Igreja de Santa Maria Hohenrechberg :

Santa Maria Hohenrechberg

A linda igreja barroca foi construída pelo arquiteto Valerian em 1686-1688.

A peça central do altar na igreja é uma estátua de Maria do início do Século 14. Rechberg foi desde o século 11, destino de peregrinações. Naquele período um eremita trouxe consigo uma belíssima figura de Maria, esculpida em madeira. Ele construiu então para aquela figura, uma pequena e simples capela. Tanto de perto como de localidades longínquas, vinham doentes e necessitados pedir a piedade e ajuda de Maria. No ano de 1488, o Conde Ulrich Von Rechberg construiu então, naquele local, uma pequena igreja de pedras. Seu filho, Franz Albert, construiu em 1686 a atual capela barroca, devido ao grande número de peregrinos que por ali passavam. Ela localiza-se exatamente onde ficava a primeira capela de madeira.

O Castelo Hohenrechberg

O castelo Hohenrechberg foi mencionado, pela primeira vez, em 1179. Ele era por longa data, residência da família dos Condes de Rechenberg. Após um grande incêndio ocasionado por raios (ocorrência muito comum na época), em 1865 o castelo tornou-se uma ruína.

Hohenrechberg

A saga do Rechberg tem como ação principal a morte do conde Ulrich II († 1496). Conta a história que ele e sua esposa Anna utilizavam seu cachorro para enviar mensagens entre si. Inclusive durante o período do namoro, o cão levava estas mensagens de castelo em castelo, em um bolsa encaixada em sua coleira. Um dia, conde Ulrich estava fora da cidade e sua mulher Anna rezava na capela para um retorno seguro de seu marido. Durante a oração, ela foi perturbada por uma forte batida. Quando, após a terceira batida, a porta se abriu, eles encontraram o cachorro de seu marido na porta. Ela abriu a bolsa de couro na coleira do cão. Achando o saco vazio, ela sabia que algo tinha acontecido. Logo depois, ela recebeu a notícia de sua morte. Desde então, diz a lenda, que cada vez que se ouve em Rechberg forte batida na porta, significa que alguém da família Rechberg está em seu leito de morte. A representação do cão fiel em ligação com a nobreza Rechberg aparece em vários pontos no tempo. Isto ocorreu até meados do Século 18.

Interessante:

Caso você se interesse por geologia, ou somente goste muito de uma boa caminhada, Rechberg será certamente um interessante local. Eu sugiro navegar nesse link e planejar este passeio. Neste link achamos todas as informações necessárias para um passeio com duração de aproximadamente 4 horas, num percurso de 13 quilômetros. Nesta caminhada você seguirá o trajeto geológico, atravessando pequenas pontes, descobrindo no Hohenrechberg, o Santuário e as ruínas de Rechenberg.

>> Por que Alemanha ?

–  Porque aqui a gente anda de bicicleta, usando-a não somente como lazer nos finais de semana, mas sim como meio de transporte. Não tem preço poder ir e vir respirando ar fresco (o meio ambiente também agradece…)!!! “