Tag Archives: serra da mantiqueira

O que fazer em Monte Verde


Já que está frio e não tem muito o que fazer a esse respeito, o jeito é tentar curtir o inverno no melhor estilo, né? Aí a gente já se imagina se entupindo de fondue em um final de semana nas montanhas, usando todos aqueles gorros, luvas, cachecóis e sobretudos que não usamos o ano inteiro e tirando selfies ao lado de termômetros gigantes que marcam temperaturas baixíssimas (para o nosso parâmetro, claro).

E se, além de tudo isso, você ainda quiser dar um toque de aventura e natureza para o seu final de semana gelado, recomendo fortemente que você vá para Monte Verde, cidadezinha no sul de Minas localizada na Serra da Mantiqueira.

Monte Verde vem aumentando sua relevância dentre os destinos preferidos dos endinheirados para curtir o frio. E não é para menos, já que ela oferece tudo o que se espera de uma cidade serrana turística: bons (e caros) restaurantes, lojas de chocolate, malhas, couros e afins, variedade de hotéis e muita, mas muita natureza. Fora o clima delicioso e charmoso de cidade realmente pequena, já que tudo isso fica localizado em praticamente uma única rua.

O que fazer em Monte Verde - rua principalE já deu para perceber que agito noturno não é bem o forte da cidade, né? Quem está em busca de baladas noite a dentro, talvez se fruste um pouco. Mas existem muitos restaurantes com pegada meio bar. Muitos deles tem mesas externas, música ao vivo e muita comida e bebida. No fim da tarde, vá caminhando pela rua principal e escolha um deles para sentar e tomar uma cerveja importada. É a hora de maior movimento do dia no inverno, e um jeito delicioso de passar o tempo!

O que fazer em Monte Verde - Bar

O que fazer em Monte Verde - Cerveja

O que fazer em Monte Verde

– Megatirolesa

O nome não é exagero. É uma MEGA tirolesa mesmo, pois tem 450 m para ir e 475 m para voltar a uma altura de quase 70 m. O passeio é rápido, mas é muito divertido! A gente passa no meio das árvores e por cima do vale que liga uma montanha na outra. SENSACIONAL! Essa tirolesa fica em um lugar chamado Circuito Fazenda Radical, onde é possível alugar quadriciclo também, para que gosta.

Como chegar: saindo de Monte Verde sentido Camanducaia (é a mesma estrada pela qual você chegou na cidade), ande uns 5 Km e você verá placas indicando a Megatirolesa. A Fazenda Radical fica em uma saída de terra dessa estrada principal, mas é super fácil de chegar e bem sinalizado.

Quanto custa: R$65 por pessoa (sim, é caro, mas os equipamentos são bastante seguros, a equipe é bem treinada e a empresa faz uma manutenção periódica na estrutura da tirolesa).

Pode levar celular/máquina fotográfica durante o passeio? Sim. Eles te dão um saquinho que vai preso no seu capacete e fica por dentro da sua blusa. Nele, você pode colocar um celular ou máquina para tirar foto quando chegar do outro lado (nunca no caminho!). Se você tiver uma GoPro, pode levar na mão tranquilamente.

Alerta básico: entre as tirolesas de ida e volta, você precisa andar cerca de 90 metros. Não se assuste se você ficar muito ofegante durante esse percurso – não, você não está tão fora de forma assim-, é que a grande altitude da região faz o ar ficar rarefeito e, consequentemente, mais difícil para respirar, por isso a sensação de cansaço rápido. A dica é parar no caminho sempre que preciso para recuperar o ar e andar devagar, segurando no corrimão 😉

Monte Verde - Megatirolesa 1

Monte Verde - Megatirolesa 2

Monte Verde - Megatirolesa 3

Monte Verde - Megatirolesa 4

– Trilha do Pinheiro Velho

Existe uma trilha bem fácil e tranquila no meio da cidade, com 5 entradas espalhadas pelas principais ruas. É só entrar em qualquer uma delas e seguir as placas. Não exige preparo físico e nem roupa adequada, é apenas uma maneira agradável de dar uma volta e qualquer um pode fazer.

O que ver: como “atração”, existe apenas o tal do Pinheiro (que dá nome à trilha) e uma fonte de água potável.

Quanto custa: absolutamente nada.

Quanto tempo leva: uns 15 minutos, se você andar com calma.

Monte Verde - Trilha Pinheiro Velho 1

Monte Verde - Trilha Pinheiro Velho 2

Monte Verde - Trilha Pinheiro Velho 3

Monte Verde - Trilha Pinheiro Velho 4

Monte Verde - Trilha Pinheiro Velho 5

Onde comer o melhor rodízio de fondue

Acredita que eu ainda não sei o nome do restaurante? HAHAHA pois é. Mas não tem como não encontrar. Para variar, ele fica na rua principal (Avenida Monte Verde), é aberto, tem música ao vivo (que dá para ouvir de dentro da Trilha do Pinheiro Velho, by the way) e fica enfrente a um lago artificial. Não tem como errar. De verdade. É o mais badalado, movimentado. De dia e de noite.

Quanto custa: cerca de R$60 por pessoa. O rodízio inclui os fondues de carne (na chapa), queijo e chocolate e pode comer à vontade.

Dica: nas noites geladas, mesmo que você esteja quase congelando, vale à pena ficar nas mesas externas (mesmo porque tem poucas opções dentro). Tem todo um clima de cidade serrana!

O que fazer em Monte Verde - Restaurante

O que fazer em Monte Verde - Fondue

Bem na frente desse restaurante/bar fica um outro do mesmo dono, com mesas do lado de fora também. Apesar da comida ser igualmente deliciosa, ele não é tão cheio. Sendo assim, dependendo da sua vibe da noite, pode escolher entre um e outro que você não irá se arrepender.

O que fazer em Monte Verde - Termômetro__________________

As próximas dicas são relativas as várias trilhas que Monte Verde tem. Como são várias e eu tenho muita coisa pra falar, vou deixar essa parte para o próximo post, ok (leia aqui!)? Aí conto tudo e dou todas as dicas direitinho, trilha por trilha!

Bjos!!

Como foi o fim de semana no Vale do Sol

E depois de um trânsito delícia pra sair de São Paulo, de um GPS doido que jogou a gente em uns lugares fora do planeta Terra e de dois celulares sem bateria (e, consequentemente, sem Waze), chegamos em Serra Negra! uhu!!

Achar o Vale do Sol é a coisa mais simples do mundo, porque assim que você entra na cidade já tem várias placas sinalizando a direção. Fizemos o check-in e, ao entrar no nosso quarto, nos deparamos com um local amplo, chão e móveis de madeira, super limpinho e aconchegante. Bem carinha de fazenda, mesmo, sabe? A vontade de se enfiar debaixo das cobertas naquele friozinho leve que estava fazendo era grande, mas a fome falava mais alto e fomos procurar o restaurante para aproveitar o jantar. Eita comidinha deliciosa! Super caseira, várias opções de saladas, sopinhas e caldos quentes, sobremesas. Era o que faltava para coroar a noite!

Mas a melhor surpresa veio no dia seguinte. Saímos do quarto de manhã para ir tomar café e demos de cara com uma vista de tirar o fôlego: sol, céu azul e a Serra da Mantiqueira se estendendo bem a nossa frente, imensa. Uau! Que paz, que tranquilidade! Queria ficar lá o resto do dia, só admirando a paisagem… Mas o dia estava tão bonito que optamos por dar uma caminhada para conhecer as dependências do hotel e, de quebra, praticar um exercício físico #projetoverão2020.

O hotel

Piscinas

O restaurante

Lá realmente tem bastante coisa pra fazer, e conseguimos aproveitar o fim de semana do jeitinho que queríamos: caminhamos, tomamos sol, relaxamos na piscina, descansamos, conversamos muito e comemos mais ainda! Além disso, sou só elogios para o Vale do Sol: comida caprichada e variada, a infra-estrutura excelente, atendimento acolhedor. Não tenho nada a reclamar, de verdade! Foi, sem dúvida nenhuma, a escolha perfeita, que se encaixava com o momento. E como fez bem, afe! Na segunda-feira éramos outras pessoas. Renovadas. Mais leves. Mais felizes. É impressionante como esse tipo de escapada e um pouco de loucurinha faz diferença na vida, né não?

Viajar, para qualquer lugar que seja e pelo tempo que for, areja a mente, distrai a cabeça, renova as energias. Pode ser um simples bate-e-volta para a praia, um fim de semana nas montanhas ou um mês na Europa. Não importa. O que vale é ir. Tem mil possibilidades para todos os gostos e bolsos. É só se jogar!

Fui!

Hotel Fazenda em Serra Negra – delícia!

 

Hotel Fazenda Vale do Sol

Decidimos que queríamos viajar para algum lugar diferente no próximo final de semana. Nada muito elaborado (e nem caro!), mas com um “quê” especial. Um local onde pudéssemos curtir, descansar e aproveitar a companhia um do outro. Sem pressa. Sem nada muito planejado. Sem obrigações ou atividades mil. Pode fazer o que der na cabeça, sabe?

As opções eram infinitas, não havíamos pensado em nada… Mas acho que o fato de ser Agosto deu aquela vontadezinha de ir para o campo, no alto das montanhas, pegar um friozinho e observar uma bela paisagem. Concluí que o que precisávamos mesmo para aqueles dois dias que se aproximavam era de um hotel fazenda. Parecia o encaixe perfeito com o que estávamos buscando! E então, comecei minhas buscas.

Encontrei várias opções, dos baratinhos aos mais caros, dos rústicos aos luxuosos. Até com campo de golfe tinha! Mas nenhum deles deu aquele “clique”, sabe? Nada me chamou tanta atenção. Eis que, depois de algum tempo, dei de cara com o Hotel Fazenda Vale do Sol. Localizado em Serra Negra, ficava a cerca de 3 ou 4 horas de São Paulo. Perfeito! Longe o suficiente da cidade grande, mas fácil e rápido de chegar. O preço? Bem compatível com o que estávamos dispostos a gastar 😉

Pelo site me pareceu tudo muito bem cuidado e com uma excelente infra-estrutura. As fotos mostravam chalés com carinha de fazenda, daqueles que você olha e já se imagina enrolado debaixo das cobertas curtindo um friozinho delícia. Fora a vista, né? Montanhas para tudo quanto é lado, uma overdose de verde.

Atividades também não faltariam. Piscinas (frias e aquecidas), lago para pesca, cavalos, pista de cooper, tabuleiro de xadrez gigante (rsrs). Café da manhã, almoço e jantar inclusos – e à vontade. #praticidades #comercomosenãohouvesseamanhã

Não tínhamos mais dúvidas de que aquele era o hotel fazenda perfeito para o fim de semana que estávamos buscando. Pelo telefone mesmo tirei algumas dúvidas e fizemos a reserva. Simples assim.

Serra Negra, nos aguarde!

Bjos,

UPDATE: clique aqui para ver como foi o fim de semana!